Seguradoras vão pagar mais de 18,6 milhões de indemnizações pelas cheias em Lisboa - TVI

Seguradoras vão pagar mais de 18,6 milhões de indemnizações pelas cheias em Lisboa

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • ECO Seguros
  • 23 dez 2022, 10:28
Mau tempo em Lisboa (Lusa/ João Relvas)

A primeira estimativa da APS, associação das seguradoras, aponta para mais de 18,6 milhões de euros em indemnizações a pagar nas 7.300 participações de sinistro devidas ao tempo na zona de Lisboa

Relacionados

Dados provisórios recolhidos pela Associação Portuguesa de Seguradores (APS) , através de inquérito realizado junto das empresas de seguros, indica que as seguradoras com atividade em Portugal receberam, até ao momento, 7737 participações de sinistros, pelas quais estimam pagar indemnizações no valor de mais de 18,6 milhões de euros devido exclusivamente às inundações ocorridas na Área Metropolitana de Lisboa, entre os dias 7 e 16 de dezembro.

Do inquérito concluiu-se, também, que Lisboa foi o concelho com mais sinistros participados e com o valor mais alto de indemnizações pagas e provisionadas. Em número de sinistros participados, seguiram-se os concelhos de Oeiras e Sintra.

Loures e Oeiras foram os distritos onde se registaram, a seguir a Lisboa, os maiores valores de indemnizações pagas e provisionadas.

Os principais prejuízos reportados dizem respeito a seguros de multirriscos, tanto de habitação (45%) como de comércio e indústria (37%), bem como a seguro automóvel (15%).

Entretanto a APS também divulgou as consequências para as seguradoras das fortes chuvas registadas na manhã do passado dia 5 de dezembro, no distrito de Faro. Foram participados 247 sinistros participados que vão resultar num total de indemnizações pagas e provisionadas de quase 600 mil euros para prejuízos respeitantes, maioritariamente, a seguros de multirrisco habitação.

Relembre-se que só a Fidelidade tem previsto atribuir indemnizações superiores a 4 milhões de euros aos seus clientes.

Em comunicado, a APS refere que “continua a monitorizar a evolução da situação e fará nova atualização de dados caso se venha a justificar”.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

EM DESTAQUE