Saldo da Segurança Social é "histórico" e resultado de "esforço coletivo" - TVI

Saldo da Segurança Social é "histórico" e resultado de "esforço coletivo"

  • Agência Lusa
  • ARC
  • 26 mai 2023, 15:47
Segurança Social está a perder dinheiro com o Credit Suisse

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, disse esta sexta-feira que o saldo da Segurança Social, o “mais alto dos últimos dez anos”, é “histórico” e resulta de um “esforço coletivo”.

“Este resultado histórico da Segurança Social, o saldo mais alto dos últimos dez anos, de cerca de 4,0 mil milhões de euros, significa o resultado do esforço coletivo de todos nós”, referiu a governante, à entrada do Fórum Social do Porto, que decorre esta sexta-feira e sábado.

A ministra disse que o saldo decorre, “essencialmente, de dois grandes fatores”, um maior número de trabalhadores ativos a participar na Segurança Social”, indicou, destacando o “número recorde de declarações à Segurança Social”, e a “valorização dos salários”.

“Temos um compromisso com os parceiros sociais no sentido desta valorização dos salários acontecer até 2026”, recordou, sublinhando que “é mesmo crítica para o país” como forma de atrair e fixar as pessoas e valorizar os trabalhadores. 

A ministra destacou ainda o efeito de confiança no sistema de Segurança Social. "Está a ganhar a capacidade de confiança e responsabilidade intergeracional, dando confiança, não só aos atuais pensionistas, mas também aos jovens que estão a entrar no mercado de trabalho”, garantiu, indicando, com este saldo, está a ser construída "uma Segurança Social sólida”.

A Segurança Social registou o maior excedente orçamental em mais de uma década, atingindo 4.059 milhões de euros, em 2022, uma melhoria de 1.711 milhões face a 2021, avançou o Conselho de Finanças Públicas (CFP) esta quinta-feira. 

O excedente foi alcançado num ano em que a Segurança Social continuou a ser afetada pelas medidas implementadas em anos anteriores devido à pandemia, bem como pela adoção de novos apoios no contexto do choque geopolítico, refere o CFP no relatório sobre a evolução orçamental da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações (CGA) em 2022.

"Para este resultado contribuiu o aumento da receita efetiva em 2.220 milhões de euros, superando o aumento da despesa que se cifrou nos 508 milhões de euros", pode ler-se no relatório.

O impacto na despesa das medidas implementadas no âmbito da covid-19 foi de 607,4 milhões de euros em 2022, tendo sido de 616 milhões de euros o montante afeto ao seu financiamento.

Continue a ler esta notícia