Portugal a uma vitória do Mundial feminino: «Não há favoritos» - TVI

Portugal a uma vitória do Mundial feminino: «Não há favoritos»

Francisco Neto (FPF)

Francisco Neto pede «jogo posicional perfeito, tanto com bola, como sem bola» frente aos Camarões. Jogo tem início às 06h30 de quarta-feira (19h30 na Nova Zelândia)

Relacionados

O selecionador da equipa feminina de Portugal, Francisco Neto, sublinhou esta terça-feira que é preciso manter o «caráter» e fazer um «jogo posicional perfeito» frente aos Camarões, no play-off intercontinental de acesso ao Mundial 2023. Na antevisão ao encontro, Neto lembrou que a seleção africana já esteve por duas vezes em Mundiais, enquanto a nação lusa procura uma inédita e histórica presença.

«Não podemos dar-lhes espaço para correrem com bola. Temos de ser muito competentes e focados em todos os momentos do jogo», referiu Francisco Neto, citado pelos canais da Federação (FPF), notando que a equipa «tem de fazer um jogo posicional perfeito, tanto com bola, como sem bola» e pedindo para a equipa «não perder a sua identidade».

«Temos estado bem. Desde o Europeu que a equipa tem tido performances muito boas. No play-off continental mantivemos o nosso caráter e espero que isso aconteça também aqui», explicou, rejeitando favoritismos, apesar de Portugal ser 22.º no ranking FIFA e Camarões 58.º.

«Nos jogos a eliminar não há favoritos. Estamos a falar de uma equipa que já esteve duas vezes em fases finais de Campeonatos do Mundo, já adquiriu essa experiência e nós não. Além disso, sabe que está a 90 ou a 120 minutos de poder voltar ao Mundial e tem jogadoras experientes que atuam em bons campeonatos. Temos de estar ao mais alto nível», frisou.

Dolores Silva: «É o jogo com que todas nós temos sonhado»

Por seu turno, a capitã de equipa, Dolores Silva, salientou que é preciso Portugal estar «com os níveis de concentração no máximo». «É o jogo com que todas nós temos sonhado e representa uma grande responsabilidade. Estamos aqui a representar as gerações anteriores, a nossa e as futuras», antecipou.

O jogo, que tem início às 06h30 de Portugal Continental (19h30 na Nova Zelândia), tem como palco o Estádio Waikato, em Hamilton. A australiana Casey Reibelt, de 35 anos, é a árbitra do jogo. Vai ser auxiliada pela também australiana Joanna Charaktis e pela sul-coreana Mi Suk Park. A venezuelana Emikar Calderas está como quarto árbitro, num encontro que tem vídeo-árbitro.

Continue a ler esta notícia

Relacionados