Simone Biles está de volta! Regresso à competição após paragem por problemas de saúde mental: “Desta vez eu estou a fazer isto por mim” - TVI

Simone Biles está de volta! Regresso à competição após paragem por problemas de saúde mental: “Desta vez eu estou a fazer isto por mim”

  • CNN
  • Jill Martin, George Ramsay e Homero De la Fuente
  • 7 ago 2023, 12:09
Simone Biles de regresso a 6 de agosto de 2023 após longa paragem, nos US Classic Gymnastics Foto AP

Atleta vence este sábado a sua primeira prova de ginástica de competição desde 2021 e qualifica-se para os campeonatos nacionais dos EUA

No seu primeiro evento de competição desde 2021, a lendária ginasta Simone Biles fez um regresso triunfante, conquistando o primeiro lugar num pavilhão esgotado no Core Hydration Classic este sábado.

A superestrela da ginástica marcou 14,0 nas barras assimétricas, 14,8 na trave, 14,9 no exercício de solo e uns notáveis 15,4 no trampolim diante de uma multidão estrondosa em Hoffman Estates, Illinois, nos arredores de Chicago, nos Estados Unidos.

No geral, Biles terminou em primeiro lugar nas provas gerais, no salto, no exercício de solo e na trave de equilíbrio. E ficou em terceiro lugar nas barras assimétricas.

“Senti-me muito bem, especialmente depois de tudo o que aconteceu no ano passado”, disse Biles numa entrevista à CNBC após o evento, referindo-se ao seu hiato do desporto para dar prioridade à sua saúde mental.

“Então, todos os que estavam a aplaudir na multidão, os que fizeram cartazes e tudo o mais, isso fez meu coração aquecer porque eles ainda acreditam em mim e eu voltei aqui e fiz o que eu andava a treinar, estou muito feliz com o resultado”.

A sete vezes medalha olímpica fez sua primeira aparição desde que se retirou de vários eventos nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2021.

Questionada sobre a razão pela qual decidiu regressar, Biles respondeu. “Eu mais ou menos sempre soube, com tudo o aconteceu em Tóquio. Então, desta vez eu estou a fazer isto por mim, eu trabalhei muito em mim mesma, e eu acredito um pouco mais em mim, apenas voltando aqui e dando os primeiros passos novamente”.

As suas pontuações colocam-na à frente das concorrentes Jordan Chiles, Leanne Wong e Katelyn Jong no Core Hydration Classic, anteriormente designado por US Classic.

Simone Biles no sábado em Hoffman Estates, Illinois. Erin Hooley/AP

Durante o seu exercício de solo, Simone Biles executou um “duplo layout com um half-turn” - um movimento com o seu nome -, obtendo uma pontuação de 14,9.

De seguida, Biles executou um “double pike Yurchenko”, considerado o salto feminino mais difícil do mundo, obtendo uma impressionante pontuação de 15,4. Biles terá de executar o “double pike Yurchenko” numa competição internacional para que este seja oficialmente batizado com o seu nome.

À entrada para a prova final, Biles precisava de uma pontuação de 10,350 para ficar em primeiro lugar na competição geral. Terminou 5 pontos à frente da segunda classificada, Leanne Wong, com uma pontuação de 59,1 e qualificou-se para o Campeonato dos EUA em San Jose, Califórnia, no final deste mês.

Os concorrentes são pontuados com base numa combinação de execução e dificuldade, com a pontuação total de cada evento a situar-se normalmente entre 12 e 15.

Aplaudida pelo público, Biles reagiu com um aceno de mão e com o seu sorriso caraterístico depois de terminar a prova final.

“Isto significa muito, porque depois de tudo o que aconteceu em Tóquio, foi preciso fazer muito”, disse Biles sobre o apoio dos fãs. “Trabalhei muito em mim, ainda faço terapia semanalmente e tem sido muito emocionante vir aqui e ter a confiança que tinha antes.”

A atleta de 26 anos desistiu da final da equipa feminina em Tóquio depois de sofrer do que é conhecido como “twisties” - um bloqueio mental que faz com que as ginastas percam a noção da sua posição no ar.

Biles optou por não competir em quatro finais individuais nos Jogos de Tóquio, mas voltou a competir na trave de equilíbrio, ganhando o bronze depois de usar uma desmontagem modificada no seu exercício.

O Core Hydration Classic foi a última oportunidade para os atletas se qualificarem para os campeonatos nacionais. Os campeonatos mundiais de ginástica estão agendados para o período de 30 de setembro a 8 de outubro, em Antuérpia, na Bélgica.

No sábado, uma multidão afluiu a Hoffman Estates, onde os espectadores estavam ansiosos não só por ver o regresso muito aguardado de Biles, mas também por ver Sunisa Lee, medalha de ouro olímpica que regressou.

Biles é a ginasta mais condecorada da história dos Estados Unidos, tendo conquistado 32 medalhas em Jogos Olímpicos e campeonatos mundiais. Entre as suas medalhas contam-se quatro ouros nos Jogos Olímpicos e 19 ouros nos campeonatos mundiais - o maior número de medalhas de uma ginasta na história.

Após o seu hiato, Biles está a regressar à ginástica como uma célebre defensora da saúde mental. Mesmo nos meses após os Jogos Olímpicos, ela disse que ainda estava “com medo de fazer ginástica”, mas recentemente disse no Instagram que ela está “a girar novamente. Sem preocupações. Tudo está bem”.

Ela fez poucos comentários públicos sobre o seu regresso, mas expressou o seu empolgamento nas redes sociais no mês passado, escrevendo: “Desculpem ter estado um pouco ausente desde o anúncio. Estou impressionada com todas as vossas mensagens, apoio e amor! Estou entusiasmada por voltar à competição!”

Na competição de sábado, os fãs apareceram em força para mostrar o seu apoio a Biles, muitos exibindo orgulhosamente o seu nome em T-shirts e cartazes feitos em casa.

“A coragem e o modelo a seguir para sair e dizer: 'não, a minha saúde mental é mais importante, a minha saúde física é mais importante'", disse a fã Stacey Doyle, que vestia uma t-shirt “Simone Freakin' Biles”. “Estou muito orgulhosa dela”.

“Ela é resiliente e penso que neste desporto e em todos os desportos, por vezes os atletas têm de se esforçar até limites que não são necessários”, disse outro fã, Contey Smith. “Por isso, acho que o facto de ela ter tomado uma posição e dado um passo atrás significou muito para todos, especialmente para mim, enquanto mãe. Quero que os meus filhos façam o melhor que puderem, mas deve ser sempre divertido”.

Para aqueles acostumados a ver Biles dominar as competições com facilidade, sua saída em 2021 foi um movimento inesperado. Mas para alguns mais familiarizados com as intensas exigências físicas e psicológicas do desporto, a decisão de Biles de optar por sair da competição foi mais sem precedentes do que surpreendente.

“(A saída de Biles) foi chocante porque mais ninguém na ginástica se levantou e disse ‘Basta'. Neste momento, isto é suficiente, e eu preciso de cuidar de mim, independentemente do que todos querem de mim no maior palco do planeta'”, disse a jornalista desportiva e autora Joan Ryan à CNN.

Com a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos do próximo ano a menos de um ano de distância, o que mais está para vir para a ginasta americana mais condecorada da história?

Quando questionada no sábado sobre a sua situação em relação a competir nos Jogos Olímpicos de Paris em 2024, Biles disse que as coisas estão “a ir na direção certa”.

“Ainda estamos a dar os primeiros passos”, disse Biles. “O meu principal objetivo era este e depois os campeonatos e, a seguir, o mundial e depois logo se vê, mas até agora está a ir na direção certa. Mas ainda tenho de trabalhar em mim, vou continuar a fazer a minha terapia, vou continuar a pôr-me em primeiro lugar.”

Simone Biles na competição de ginástica US Classic este sábado, 5 de agosto de 2003, em Hoffman Estates, Ill. Foto AP Photo/Erin Hooley

Isabel Rosales, Nouran Salahieh, Savanna Stewart e Zoe Sottile da CNN contribuíram para este artigo.

Continue a ler esta notícia