Um homem suspeito de um homicídio em Sintra há quase 11 anos, que foi detido em França e extraditado para Portugal, ficou em prisão preventiva após ser ouvido por um juiz, anunciou este sábado a Polícia Judiciária (PJ).

O homem, de 30 anos, foi detido em janeiro deste ano, “por fortes indícios da prática de um crime de homicídio qualificado”, disse a PJ em comunicado.

O crime ocorreu em 30 de maio de 2012, no concelho de Sintra (Lisboa), onde, após uma festa num estabelecimento comercial, o suspeito se envolveu em discussões com a vítima na via pública, tendo empunhado uma faca que lhe espetou no tórax, causando-lhe a morte, segundo a PJ.

O agressor ausentou-se de imediato do local e desfez-se da arma do crime antes da chegada das autoridades.

A PJ apurou mais tarde que o suspeito abandonou o território nacional pouco depois, com destino a França, mantendo-se em paradeiro desconhecido durante vários anos.

Já em janeiro deste ano, a secção de homicídios da PJ localizou o suspeito em França e, com a colaboração da Polícia Judiciária Francesa, “efetivou-se a sua detenção, através do cumprimento de Mandado de Detenção Europeu”.

Segundo a PJ, o suspeito foi extraditado em 16 de fevereiro, com a colaboração da Unidade de Cooperação Internacional, e foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

/ AG