«RTP terá que despedir 200 trabalhadores» - TVI

«RTP terá que despedir 200 trabalhadores»

  • Portugal Diário
  • 12 dez 2007, 17:21
RTP [arquivo]

Presidente garante que é preciso fazer cortes orçamentais

Relacionados
O actual presidente da RTP, Jorge Ponce de Leão, alertou hoje, numa entrevista ao site da estação pública, que o operador poderá ter que despedir 200 trabalhadores, a médio prazo, caso não sejam feitos cortes orçamentais, escreve a Lusa.

A chegada de um novo operador de televisão, que Ponce de Leão considera inevitável, é a razão para este alerta.

Segundo as contas do presidente em exercício, a RTP irá perder cerca de 25 milhões de euros em receitas na sequência do provável lançamento de um novo canal com emissão em sinal aberto, situação pela qual «é necessário poupar».

Cortes orçamentais que podem ser feitos no futebol e na informação, refere o responsável.

«Teremos de ter cortes significativos no futebol. Não podemos continuar a gastar o que se gasta no acompanhamento dos estágios das equipas de futebol e mesmo as transmissões de jogos vão levar obrigatoriamente um enorme corte. Tudo isso irá permitir uma poupança de 5 a 6 milhões», justificou.

No campo da informação, Ponce de Leão defendeu «um maior aproveitamento dos meios disponíveis», tanto a nível humano como técnico.

«É necessário ter uma nova forma de fazer informação», reforçou, estimando uma poupança «entre dois a três milhões de euros».

No entanto, e apesar destas medidas, Ponce de Leão alertou ainda que ficarão «cerca de 10 milhões de euros em falta».

«Numa comparação muito realista esta verba corresponde a 200 postos de trabalho», sustentou, revelando dois cenários para ultrapassar esta questão.

«A primeira é a forma dolorosa. Se nada se fizer até ao momento em que a crise se instalar serão despedidos pura e simplesmente esses 200 trabalhadores», disse.

A segunda hipótese para Ponce de Leão passa por «efectuar um planeamento que comece desde já e aproveitando o ciclo de vida das pessoas», nomeadamente através de reformas antecipadas.
Continue a ler esta notícia

Relacionados