O exército ucraniano admitiu esta quarta-feira que se retirou de Soledar, duas semanas depois de as forças russas terem anunciado a conquista da pequena cidade do leste da Ucrânia.

“Após meses de duros combates, (...) as forças armadas ucranianas deixaram a cidade para recuar para posições preparadas”, disse o porta-voz militar ucraniano da zona oriental, Sergei Cherevaty, à agência noticiosa francesa AFP.

Cherevaty não precisou quando é que as forças ucranianas se retiraram de Soledar, que tinha cerca de 10 mil habitantes antes de a Rússia ter invadido o país, em 24 de fevereiro do ano passado.

A Rússia reivindicou a conquista de Soledar em 13 de janeiro, mas as autoridades ucranianas disseram, no mesmo dia, que as suas forças continuavam a resistir às forças russas, que incluíam o grupo russo de mercenários Wagner.

Soledar, uma cidade mineira, situa-se próximo de Bakhmut, onde têm ocorrido duras batalhas entre as duas partes.

A televisão norte-americana CNN noticiou que os Estados Unidos e países europeus aconselharam a Ucrânia a abandonar Bakhmut e a dar prioridade a uma ofensiva no sul, “usando um estilo de luta diferente que aproveite os milhares de milhões de dólares em novo material militar recentemente comprometido”.

Bakhmut e Soledar integram a região de Donetsk, uma das quatro que a Rússia anexou no final de setembro.

Além de Donetsk, Moscovo também anexou na mesma altura Lugansk, Kherson e Zaporijia, onde se situa a maior central nuclear da Europa.

Moscovo já tinha integrado a península ucraniana da Crimeia no território da Federação Russa em 2014.

A Ucrânia e a generalidade da comunidade internacional não reconhecem a soberania russa nos cinco territórios anexados.

/ AM