«José Fonte? Cuida-se muito bem, como o Castro, o Pizzi ou o Moutinho» - TVI

«José Fonte? Cuida-se muito bem, como o Castro, o Pizzi ou o Moutinho»

Artur Jorge no Sp. Braga-Nápoles (JOSÉ COELHO/Lusa)

Artur Jorge reconheceu que não está satisfeito com o momento do Sp. Braga e abordou as situações de vários jogadores do plantel

Relacionados

O treinador do Sporting de Braga, Artur Jorge, confessou que não está satisfeito com o momento da equipa no campeonato, depois de duas derrotas em cinco jogos.

«Sou o primeiro a não estar satisfeito com termos perdido já dois jogos [no campeonato], mas isso não me cria desânimo em relação ao que a equipa pode fazer e poder dar», disse o técnico em conferência de imprensa, notando que «o jogo com o Nápoles foi apenas um exemplo» disso.

Para Artur Jorge, que falava na antevisão ao jogo com o Boavista, os bracarenses têm de ser não só «mais consistentes nas exibições, mas em tudo».

«No suporte à equipa, no apoio que temos de ter, no acreditar no processo e no projeto e não reduzir tudo ao desempenho da equipa. Temos jogado de três em três dias, temos de ter alguma serenidade e paciência no que estamos a fazer e saber o que estamos a fazer», frisou.

O treinador dos minhotos destacou ainda a «consistência do projeto» do Sp. Braga. «Falo em dois terceiros lugares, uma final da Taça de Portugal, um play-off da Liga dos Campeões 100% vencedor, um apuramento para a fase de grupos da Champions. São cerca de 70 jogos.»

«Estamos satisfeitos com o momento? Não estamos, mas temos margem de crescimento para fazer muito melhor, temos de ter consistência em tudo e não só nas exibições para podermos ter uma época de sucesso», sublinhou.

Artur Jorge garantiu ainda que continua a acreditar que «um dia o Sp. Braga será campeão».

«Mas temos de gerir bem as expectativas. Basta ver que na primeira vez que estivemos na fase de grupos da Liga dos Campeões, com o míster Domingos [Paciência], tínhamos oito pontos à quinta jornada, mais um do que tínhamos hoje», lembrou.

O técnico do Sp. Braga também elogiou o percurso da equipa de Petit, considerando-a «extremamente perigosa».

«Vamos defrontar uma boa equipa, que está a fazer um arranque muito bom, tenho gostado de ver e seguramente será um desafio grande e importante. Acredito que o resultado do primeiro jogo [vitória por 3-2 contra o Benfica] deu um ânimo ao Boavista e permitiu andar em primeiro lugar, com confiança, com motivação em alta. Será um jogo bastante difícil para nós», realçou.

Sobre Zalazar e Rony Lopes, que têm tido poucas oportunidades, Artur Jorge defendeu que é sempre necessário «um período de adaptação às ideias da equipa».

«De forma gradual, têm dado o seu contributo. Temos de ter algum equilíbrio na utilização de jogadores para ter um maior rendimento», explicou, antes de analisar também o tempo de jogo reduzido de André Horta.

«Aumentámos a qualidade e a equipa fica mais competitiva, mas isso não retira valor a quem não joga. Temos uma equipa com um grupo de grande qualidade e, como qualquer treinador, não consigo pôr mais do que 11 a jogar regularmente», afirmou.

Artur Jorge defendeu ainda José Fonte, alvo de críticas pelo jogo com o Nápoles.

«Contribuiu para uma excelente exibição no último jogo, mas temos a tendência de reduzirmos ao negativo. Se pode fazer melhor? Seguramente e já o mostrou com o Sporting e o Panathinaikos. A questão da idade [39 anos]? Ele cuida-se muito bem, como o Paulo [Oliveira], o Castro, o Pizzi ou Moutinho. Têm uma idade superior, mas trabalham lindamente e cuidam-se da melhor forma», concluiu.

O Sp. Braga recebe o Boavista, a partir das 20h30 de domingo, num jogo que pode seguir AO MINUTO no Maisfutebol.

Continue a ler esta notícia

Relacionados