«Osimhen? A preocupação é como os centrais do Nápoles vão segurar o Banza, o Ruiz...» - TVI

«Osimhen? A preocupação é como os centrais do Nápoles vão segurar o Banza, o Ruiz...»

Artur Jorge fez antevisão da estreia do Sp. Braga na fase de grupos da Champions, diante do campeão italiano

Relacionados

Confiança máxima na Pedreira. A estreia do Sp. Braga na fase de grupos da Liga dos Campeões é frente ao Nápoles, mas nem o estatuto do campeão italiano faz o técnico Artur Jorge mostrar qualquer temor.

Mesmo quando o assunto é Victor Osimhen, o temível avançado nigeriano, máximo goleador na última edição da Serie A.

Quando questionado sobre como um central veterano como José Fonte poderá segurar a velocidade e potência de Osimhen, o treinador do Sp. Braga respondeu de forma curiosa.

«Osimhen? A minha preocupação é como os centrais do Nápoles vão segurar o Banza, o Abel Ruiz, o Álvaro Djaló, o Bruma...», afirmou Artur Jorge, numa resposta que deu o mote para a conferência de imprensa de antevisão, esta tarde, em Braga, em que o comandante dos «Guerreiros» mostrou confiança numa boa resposta após a derrota em Faro, para a Liga, e no regresso dos minhotos ao grande palco europeu, após dez anos de ausência.

«Fizemos uma reflexão normal [após a derrota frente ao Farense], que é sempre igual em cima de vitórias ou derrotas e em nada alterou na abordagem ao trabalho diário. Tivemos quatro dias para preparar este Nápoles. Não tenho dúvidas sobre o onze que irei apresentar, que assenta sempre na importância do jogo imediato. Jogará a melhor equipa», começou por afirmar Artur Jorge, salientando o favoritismo dos campeões italianos: 

«A opinião generalizada é de que o jogo vai ser mais difícil para o Braga. Em termos teóricos, há um favorito, mas nós temos a vontade de contrariar isso e eu acredito que a minha será capaz de superar este adversário», afirmou o técnico, salientando a qualidade de uma equipa recheada de craques, como o já referido Osimhen ou Kvaratskhelia, georgiano que foi eleito o MVP da última edição da Serie A:

«Há muita qualidade individual que se traduz na força do coletivo. Apesar da mudança de treinador, tendo sido completamente dominador na época passada, o Nápoles mantém essa força [...] Mesmo perante um Nápoles fortíssimo, acredito que temos possibilidade de discutir o jogo até ao fim.»

Sobre o Sp. Braga, Artur Jorge afirmou que é fundamental é a ambição de ganhar.

«Não nos podemos cansar de ganhar. Não como resposta a nada. Essa é a ambição que os jogadores expressam, é o nosso desejo de missão cumprida. Com noção do contexto, com coerência e gestão de expectativas na prova. Não podemos castrar o gosto de discutir esta competição, queremos ser leves e desfrutar destes jogos. Mas sempre com mentalidade ganhadora», declarou, concluindo: «Vamos tentar passar da teoria à prática. Estamos determinados em ganhar.»

Continue a ler esta notícia

Relacionados