O que esperam os jovens do Summer CEmp? "É uma forma de aproximar o projeto europeu dos cidadãos, que às vezes pode ser abstrato e distante" - TVI

O que esperam os jovens do Summer CEmp? "É uma forma de aproximar o projeto europeu dos cidadãos, que às vezes pode ser abstrato e distante"

  • CNN Portugal
  • ARC
  • 30 ago 2023, 20:46
Summer CEmp 2022 (Representação da Comissão Europeia em Portugal / Facebook)

A escola de verão da Representação da Comissão Europeia em Portugal acolhe 40 estudantes universitários durante quatro dias para debater o presente e o futuro da União Europeia (UE)

Relacionados

Inês e Diana participam pela primeira vez no Summer CEmp, a escola de verão da Representação da Comissão Europeia em Portugal, que arrancou esta quarta-feira em Ponte da Barca, no distrito de Viana do Castelo. As jovens, de 20 e 22 anos respetivamente, são duas dos 40 participantes.

“As minhas expectativas são muitas e são altas, porque nunca estive em alguma coisa parecida”, confessa Diana Reis. A estudante de Direito da Universidade do Porto garante que o entusiasmo se deve às pessoas com as quais vai ter oportunidade de estar e de ouvir: “Há muitas pessoas que fazem a diferença e que trabalham para uma Europa melhor e mais justa e que parecem inacessíveis e é uma forma de aproximar o projeto europeu dos cidadãos, que às vezes pode ser abstrato e distante.”

As expectativas da jovem de Macedo de Cavaleiros estendem-se também a Inês da Silva, que estuda Psicologia na Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora. “As expectativas são muito positivas, porque vamos estar dentro dos assuntos da UE que nos vão proporcionar a consciencialização para algumas questões debatidas online sem grande fundamento”, explica a jovem de Ferreira do Alentejo, admitindo algum “nervosismo” por ser uma das participantes mais novas do evento.

“Sinto-me uma privilegiada por ter sido escolhida”, afirma Diana, reconhecendo que durante o período em que aguardava os resultados às candidaturas uma só pergunta a dominou - “Será que sou suficiente?”. Esta dúvida rapidamente foi substituída pela euforia, no final de junho, quando descobriu que tinha sido aceite. Uma reação bem parecida à de Inês: “Gritei assim que li o e-mail e contei logo a toda a gente aqui em casa.”

Para além de serem estreantes no Summer CEmp, há algo ainda mais especial associado a estes quatro dias que vão ser passados em Ponte da Barca. Inês e Diana já eram amigas do mundo virtual bem antes de se terem candidatado. Agora esta amizade vai ter a "oportunidade” de extravasar o mundo digital. “Eu não sabia que a Inês se tinha candidatado e a Inês não sabia que eu me tinha candidatado, só descobri quando ela partilhou nas redes sociais”, conta Diana.

Uma amizade que nasceu fruto de um projeto pelos direitos das pessoas com deficiência do qual Diana faz parte. A amiga Inês tem mobilidade reduzida e os valores e os interesses em comum funcionaram como gatilho para esta amizade. 

Este é precisamente um dos temas que a jovem de Macedo de Cavaleiros, que se define como “uma amante da UE”, quer ver discutido no Summer CEmp. “Gostava que houvesse um cartão europeu para pessoas com deficiência, para que pudessem trabalhar em qualquer país da Europa e ter os mesmos acessos”, defende Diana, frisando a importância de “uma Europa para todos e uma Europa inclusiva”.

Em Ponte da Barca, entre 30 de agosto e 2 de setembro, juntam-se, assim, 40 universitários, mais de 70 oradores e moderadores e oito mentores para debater o presente e o futuro da União Europeia. Esta é a sexta edição da iniciativa e a primeira no norte do país, depois de ter passado por Monsanto (2017), Marvão (2018), Monsaraz (2019), Alcoutim (2021) e Ribeira Grande, nos Açores (2021).

Continue a ler esta notícia

Relacionados