Taiwan deteta 103 aviões militares chineses perto da ilha, novo recorde - TVI

Taiwan deteta 103 aviões militares chineses perto da ilha, novo recorde

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 18 set 2023, 07:31
Exercícios militares em Taiwan (AP Photo)

De acordo com dados oficiais divulgados pelo Ministério da Defesa taiwanês, este é o número mais elevado de aviões militares chineses desde 10 de abril, altura em que a ilha detetou 91 aviões junto à costa

Relacionados

Taiwan afirmou esta segunda-feira ter detetado 103 aviões militares chineses perto da costa da ilha no espaço de 24 horas, um novo recorde, numa altura em que Pequim está a intensificar as atividades militares na região.

De acordo com dados oficiais divulgados pelo Ministério da Defesa taiwanês, este é o número mais elevado de aviões militares chineses desde 10 de abril, altura em que a ilha detetou 91 aviões junto à costa.

Num comunicado, o ministério disse também hoje que detetou, nas 24 horas que terminaram às 06:00 (23:00 de domingo em Lisboa) nove navios de guerra nas imediações de Taiwan.

No comunicado sublinha-se que 40 dos aviões chineses atravessaram a linha mediana do Estreito de Taiwan, uma zona de demarcação não oficial entre a China e Taiwan.

Em resposta, Taiwan enviou as próprias aeronaves, embarcações e sistemas de mísseis para responder a estas atividades, segundo o exército.

Há duas semanas, navios de guerra dos Estados Unidos e Canadá passaram pelo Estreito de Taiwan, desafiando as reivindicações territoriais da China.

Há uma semana, Pequim enviou uma formação naval liderada pelo porta-aviões Shandong para cerca de 70 milhas (110 quilómetros) a sudeste de Taiwan. Segundo órgãos oficiais chineses, as embarcações foram realizar exercícios de simulação contra ataques lançados por aviões, submarinos, navios de guerra e meios terrestres.

China e Taiwan vivem como dois territórios autónomos desde 1949, altura em que o antigo governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente aos comunistas.

Pequim considera Taiwan parte do território chinês e ameaça a reunificação através da força, caso a ilha declare formalmente a independência.

Nos últimos anos, Pequim passou a enviar quase diariamente navios e aviões de guerra para próximo de Taiwan.

Continue a ler esta notícia

Relacionados