Pelo menos nove mortos e 934 feridos no maior sismo em Taiwan dos últimos 25 anos - TVI

Pelo menos nove mortos e 934 feridos no maior sismo em Taiwan dos últimos 25 anos

  • CNN Portugal
  • AM - notícia atualizada às 12:57
  • 3 abr, 06:09

Terramoto provocou um tsunami que atingiu a costa do país e as ilhas do extremo sudoeste do Japão

Um terramoto atingiu esta quarta-feira vários países na Ásia. Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o sismo foi de 7,4 na escala de Ritcher. O epicentro foi registado em Taiwan, o mais forte a afetar o país nos últimos 25 anos, e foi também sentido no Japão, na China e nas Filipinas. 

De acordo com a Agência Nacional de Bombeiros, citada pela CNN Internacional, pelo menos nove pessoas morreram, 934 ficaram feridas e há 137 pessoas presas nos escombros, incluindo incluindo 50 empregados do Silks Place Hotel Taroko, que viajavam em quatro miniautocarros e que as autoridades não conseguem contactar por telefone. Já as 75 pessoas que estavam presas em vários túneis no condado de Hualien foram resgatadas.

A mesma fonte adianta que cerca de cem edifícios foram danificados pelo abalo, sendo que cerca de metade dos edifícios danificados situam-se no condado de Hualien, perto do epicentro do terramoto.

Em conferência de imprensa, o magistrado do condado de Hualien, Hsu Chen-wei, revelou que quatro edifícios no condado desmoronaram parcialmente, e os residentes de três dos edifícios foram retirados em segurança, enquanto as operações de busca e salvamento continuam no Edifício Uranus, de nove andares - que está inclinado para a direita depois de o rés do chão ter desabado -, mas 22 pessoas já foram resgatas.

O presidente da autarquia de Taipé, Chiang Wanan, declarou o nível dois do centro de resposta a desastres na capital de Taiwan e pediu aos cidadãos que tem cuidado e estejam atentos a possíveis novas réplicas.

Em Taipé, a capital, há mais de 87 mil famílias que ainda estão sem eletricidade após o terramoto.

O sismo provocou um tsunami que atingiu a costa do país e as ilhas do extremo sudoeste do Japão, mas ainda não existem relatos de danos. Tanto as Filipinas como o Japão já suspenderam os avisos de tsunami e o Havai também já está fora de risco.

Na China, há relatos de que o sismo foi sentido com alguma intensidade, sobretudo na cidade de Shangai. 

Pequim oferece apoio a Taiwan

Pequim ofereceu assistência a Taiwan depois do terramoto que abalou as águas a leste da ilha. A porta-voz do Gabinete para os Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado, o Executivo da China, Zhu Fenglian, expressou "profunda preocupação" com o terramoto, ao mesmo tempo que ofereceu condolências e apoio às pessoas afetadas, segundo a agência de notícias oficial chinesa Xinhua.

Zhu reiterou o empenho da China na assistência humanitária e a sua disponibilidade para acompanhar de perto a situação, visando "prestar a ajuda necessária".

Estas expressões de apoio são comuns na sequência de catástrofes naturais, apesar das relações tensas entre os dois lados do Estreito da Formosa.

A líder taiwanesa Tsai Ing-wen ofereceu as suas condolências e assistência a Pequim após o terramoto de 2023 na província chinesa de Gansu, que custou a vida a 151 pessoas.

O antigo líder taiwanês Ma Ying-jeou (2008-2016), que se encontra de visita à China continental, manifestou o seu desejo de que todos os afetados "estejam sãos e salvos".

Responsável pela maior aproximação entre o continente chinês e Taiwan desde o fim da guerra civil chinesa, em 1949, o antigo líder do partido Kuomintang (atualmente na oposição) está na República Popular da China na companhia de um grupo de estudantes, com os quais vai percorrer as províncias de Guangdong (sudeste) e Shaanxi (centro) e a capital, Pequim, para participar em atividades culturais, educativas e históricas e encontrar-se com o Presidente chinês, Xi Jinping.

A Comissão de Segurança Nuclear de Taiwan avançou que as instalações nucleares da ilha não sofreram danos.

O sismo foi “o mais forte em 25 anos” na ilha, disse o diretor do Centro Sismológico de Taiwan, Wu Chien-fu. Em setembro de 1999, um abalo de magnitude 7,6 matou 2.400 pessoas.

No Japão, as autoridades tinha pedido a quase 500 mil pessoas nas ilhas de Okinawa, Miyakojima e Yaeyama, no sul do país, para abandonarem as habitações e procurarem refúgio em locais mais elevados.

O alerta de tsunami levou também à suspensão de todos os voos de e para o aeroporto de Naha, na ilha principal de Okinawa, enquanto os passageiros que se encontravam no aeroporto foram levados para os pisos superiores devido à proximidade da costa. Já a Japan Airlines suspendeu temporariamente os voos de e para as regiões japonesas de Okinawa e Kagoshima.

Taiwan está localizada no chamado “Anel de Fogo” do Pacífico, uma zona de intensa atividade sísmica e vulcânica que se estende do Japão ao Pacífico, através do sul da Ásia.

Continue a ler esta notícia