A CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, foi impedida de dar conta dos resultados operacionais da empresa que o próprio Governo diz serem "os melhores de sempre".

A TVI (do mesmo grupo da CNN Portugal) sabe que a presidente executiva da TAP, que ainda está em funções enquanto aguarda a audiência prévia para dirimir o seu processo de saída, recebeu indicações expressas do ministério das Infraestruturas, confirmadas mais tarde pelo Ministério das Finanças.

Nesse sentido, deverá ser num comunicado lacónico que os portugueses conhecerão os resultados da TAP numa fase ainda muita confusa, mas que deve anteceder o processo de privatização que o executivo considera estar "bem encaminhado".

Apesar da confiança expressa, quer por João Galamba, quer por Fernando Medina em relação ao despedimento com justa causa de Oumieres-Widener e do Chairmain Manuel Beja, o processo ainda está longe do fim. 

A audiência prévia aos dois gestores pode, aliás, atrasar o processo se a decisão de despedimento com justa causa for contestada o que - no caso da Presidente-Executiva, que contratou entretanto uma advogada especialista em direito de trabalho - é já uma certeza.

CNN Portugal