A assembleia-geral do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) chumbou hoje a proposta da TAP, mantendo a intenção de realizar cinco dias de greve até 31 de janeiro, adiantou à Lusa fonte sindical.

O presidente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) confirmou que os tripulantes de cabine querem “reaver condições de trabalho” indicando que irão lançar em breve um pré-aviso de greve.

Em declarações à Lusa, Ricardo Penarroias adiantou que a proposta da TAP, hoje chumbada pela assembleia-geral (AG) do sindicato, “foi considerada insuficiente para os associados e, como tal, neste momento a direção está em condições e mandatada para avançar com um pré-aviso de greve”.

“A empresa conhece as nossas reivindicações, sabe as nossas exigências e cabe-lhe apresentar uma proposta positiva e demonstrar de uma forma positiva e qualitativa que quer evitar uma greve”, indicou, recordando que “esta AG tinha exatamente o objetivo de evitar uma greve através da proposta por parte da empresa”, sendo que a direção do sindicato fica assim mandatada para avançar com um pré-aviso de greve para cinco dias até 31 de janeiro.

A decisão da AG baseia-se em alguns pontos, indicou, referindo “a falta de respeito que a empresa tem tido ao longo dos últimos tempos com a classe”, a vontade que os tripulantes têm de “reaver as suas condições de trabalho” algo que está ligado “ao fim do acordo de emergência”, assinado por causa da pandemia, que os profissionais entendem que “está totalmente desatualizado face à atual conjuntura”.

Ricardo Penarroias explicou ainda que “a proposta que hoje esteve em cima da mesa não é a proposta de acordo de empresa [AE], era uma proposta que tinha como objetivo impedir um pré-aviso de greve”.

A proposta da administração da companhia foi chumbada, com 615 votos contra, seis a favor e uma abstenção, mantendo-se a possibilidade de avançar com uma greve cinco dias até 31 de janeiro, como tinha ficado decidido na última assembleia do SNPVAC.

Recorde-se que este sindicato realizou uma greve de tripulantes da TAP nos dias 08 e 09 de dezembro, que levou a companhia aérea a cancelar previamente 360 voos e teve um impacto estimado total de oito milhões de euros.

Assim, a proposta da administração da companhia foi chumbada, com 615 votos contra, seis a favor e uma abstenção, mantendo-se a possibilidade de avançar com uma greve cinco dias até 31 de janeiro, como tinha ficado decidido na última assembleia do SNPVAC.

Recorde-se que este sindicato realizou uma greve de tripulantes da TAP nos dias 8 e 9 de dezembro, que levou a companhia aérea a cancelar previamente 360 voos e teve um impacto estimado total de oito milhões de euros.

/ BC/WL, Notícia atualizada às 19:18