Negócio da TAP com a Airbus “demonstra que a privatização feita em 2015 não foi bem uma privatização”, diz Galamba - TVI

Negócio da TAP com a Airbus “demonstra que a privatização feita em 2015 não foi bem uma privatização”, diz Galamba

  • Agência Lusa
  • BCE
  • 14 fev 2023, 19:21
João Galamba (JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

O PS pondera chamar ao parlamento os responsáveis políticos pela privatização da TAP em 2015, feita num Governo PSD/CDS

Relacionados

O ministro das Infraestruturas considerou que o negócio da TAP com a Airbus, liderado pelo ex-acionista privado David Neeleman, “demonstra que a privatização que foi feita em 2015 não foi bem uma privatização”.

João Galamba falava aos jornalistas à margem da cerimónia de inauguração do sistema de gestão de tráfego aéreo Topsky e da sala de operações de controlo de tráfego aéreo, no Centro de Controlo de Tráfego Aéreo de Lisboa, da NAV Portugal.

“Demonstra que a privatização que foi feita em 2015 não foi bem uma privatização”, respondeu João Galamba quando questionado sobre a operação de compra de aviões da Airbus por parte da TAP na altura do ex-acionista David Neeleman e sobre a notícia divulgada pelo jornal ECO, na semana passada, que indica que a privatização da companhia aérea em 2015 terá sido ganha por Neeleman com dinheiro da própria companhia aérea.

O PS pondera chamar ao parlamento os responsáveis políticos pela privatização da TAP em 2015, feita num Governo PSD/CDS, após ter sido noticiado que David Neeleman terá concretizado essa operação com dinheiro da própria companhia aérea.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, após uma reunião do Grupo Parlamentar do PS, na quinta-feira, Eurico Brilhante Dias considerou que se trata de um tema de “enorme gravidade” e recordou que a privatização em questão foi feita pelo XX Governo Constitucional, o segundo liderado pelo ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, e que esteve “em funções menos de um mês”.

Eurico Brilhante Dias salientou que o PS vai pedir “mais informação” sobre esse processo de privatização “não só à tutela da TAP, como à própria” companhia aérea e, depois, avaliar se chama “os responsáveis políticos que estavam em funções no momento da privatização” à comissão parlamentar de Economia.

Questionado quem é que o PS pondera vir e chamar - e se inclui Pedro Passos Coelho e o então vice-primeiro-ministro Paulo Portas -, Brilhante Dias respondeu: “Nós estamos a ponderar, mas prioritariamente quem tutelava a TAP na altura”.

Continue a ler esta notícia

Relacionados