Fatura com a prestação da casa começa a cair em fevereiro. Mas ainda não vai chegar a todos - TVI

Fatura com a prestação da casa começa a cair em fevereiro. Mas ainda não vai chegar a todos

Habitação

Descida da prestação a pagar ao banco começa pelos contratos indexados à Euribor 3 meses e à Euribor 6 meses. Quem tem contratos indexados à Euribor 12 meses ainda verá a prestação aumentar, mas a subida será ligeira e poderá ser a última. Confira o seu caso

Há dois anos que os detentores de contratos de crédito à habitação enfrentam subidas consecutivas das prestações a pagar ao banco, mas quem tiver o seu contrato de crédito revisto no próximo mês, com base na média mensal das Euribor de janeiro, vai sentir um primeiro alívio na prestação.

A redução será ligeira e ainda não será para todos, apenas irá abranger os contratos indexados à Euribor 3 meses e Euribor 6 meses. Já nos contratos indexados à Euribor 12 meses ainda haverá uma subida na prestação a pagar ao banco. Mas este aumento também será ligeiro e, caso se mantenha o comportamento de queda que se tem vindo a verificar nas Euribor, deverá mesmo ser o último.

“Confirma-se que as revisões das prestações a ocorrer em fevereiro vão representar as primeiras descidas ligeiras nos respetivos valores desde fevereiro de 2022 para quem tem o indexante a 3 e 6 meses”, sublinha a Deco Proteste em resposta enviada à CNN Portugal. Nos casos de contratos em que se utiliza o indexante a 12 meses “ainda haverá um agravamento”, segundo a mesma fonte, mas caso se mantenha nas próximas semanas a tendência da Euribor registada nos últimos três meses, então, “provavelmente esta será a última revisão em alta destas prestações”, conclui a DecoProteste.

A tendência de descida das taxas Euribor já se faz sentir desde novembro do ano passado, mas ainda não tinha sido suficiente para se refletir nas prestações mensais a pagar ao banco. Agora, no entanto, acompanhando um discurso por parte do Banco Central Europeu (BCE) de que a subida das taxas diretoras teria chegado ao fim em setembro do ano passado, as Euribor acentuaram as quedas e já se começarão a refletir nas mensalidades e pagar ao banco.

Na base desta tendência estão os resultados alcançados ao nível do controlo da taxa de inflação, que foi de 2,9% em dezembro do ano passado depois de ter chegado a atingir uma taxa superior a mais de 11% em novembro de 2022, mas também os danos provocados pela política de subida das taxas de juro à atividade económica que deixaram a zona euro perto de uma recessão. Dois efeitos que criaram a expectativa de que não só não haveria mais subida de taxas de juro por parte do BCE, como também levaram os mercados a acreditar que a instituição liderada por Christine Lagarde irá proceder a vários cortes de taxas de juro ainda este ano.

Descida mínima, subida mínima

É neste cenário que os contratos a rever em fevereiro vão sentir descidas, ainda mínimas, e subidas, também mínimas, mas apenas nos casos de serem indexados à Euribor 12 meses.

Tomando como exemplo um empréstimo de 150 mil euros a 30 anos, com um spread (margem do banco) de 1%, as simulações mostram que no caso de este contrato ser indexado à Euribor 3 meses ou à Euribor 6 meses, a queda na prestação atingirá entre 6 e pouco mais de 10 euros. Já no caso dos contratos indexados à Euribor 12, os que atualmente representam a maioria dos créditos à habitação em Portugal, haverá uma subida de perto de 10 euros. Confira o seu caso

 

Quanto já aumentou e como vai variar em fevereiro a prestação da casa 

Empréstimo a 30 anos com spread de 1%. Valores das Euribor de janeiro até dia 30

 

EURIBOR A 3 MESES

  Empréstimo de 25 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 110,11  
Maio de 2023 121,35 11,24
Agosto de 2023 128,07 6,72
Novembro de 2023 132,00 3,93
Fevereiro de2024 130,92 -1,08
Aumento face há um ano   20,81

 

  Empréstimo de 50 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 220,22  
Maio de 2023 242,71 22,49
Agosto de 2023 256,14 13,43
Novembro de 2023 264,00 7,86
Fevereiro de2024 261,84 -2,16
Aumento face há um ano   41,62

 

  Empréstimo de 75 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 330,33  
Maio de 2023 364,06 33,73
Agosto de 2023 384,21 20,15
Novembro de 2023 395,99 11,78
Fevereiro de2024 392,75 -3,24
Aumento face há um ano   62,42

 

  Empréstimo de 100 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 440,44  
Maio de 2023 485,42 44,98
Agosto de 2023 512,28 26,86
Novembro de 2023 527,99 15,71
Fevereiro de2024 523,67 -4,32
Aumento face há um ano   83,23

 

  Empréstimo de 125 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 550,55  
Maio de 2023 606,77 56,22
Agosto de 2023 640,35 33,58
Novembro de 2023 659,99 19,64
Fevereiro de2024 654,59 -5,40
Aumento face há um ano   104,04

 

  Empréstimo de 150 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 660,66  
Maio de 2023 728,13 67,47
Agosto de 2023 768,42 40,29
Novembro de 2023 791,99 23,57
Fevereiro de2024 785,51 -6,48
Aumento face há um ano   124,85

 

EURIBOR A 6 MESES

  Empréstimo de 25 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 117,4  
Agosto de 2023 132,13 14,73
Fevereiro de2024 130,44 -1,69
Aumento face há um ano   13,0

 

  Empréstimo de 50 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 234,8  
Agosto de 2023 264,26 29,46
Fevereiro de2024 260,88 -3,38
Aumento face há um ano   26,1

 

  Empréstimo de 75 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 352,21  
Agosto de 2023 396,39 44,18
Fevereiro de2024 391,32 -5,07
Aumento face há um ano   39,1

 

  Empréstimo de 100 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 469,61  
Agosto de 2023 528,52 58,91
Fevereiro de2024 521,76 -6,76
Aumento face há um ano   52,2

 

  Empréstimo de 125 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 587,01  
Agosto de 2023 660,65 73,64
Fevereiro de2024 652,2 -8,45
Aumento face há um ano   65,2

 

  Empréstimo de 150 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 704,41  
Agosto de 2023 792,78 88,37
Fevereiro de 2024 782,64 -10,14
Aumento face há um ano   78,2

 

EURIBOR A 12 MESES

  Empréstimo de 25 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 124,28  
Fevereiro de2024 125,92  
Aumento face há um ano   1,6

 

  Empréstimo de 50 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 248,55  
Fevereiro de2024 251,83  
Aumento face há um ano   3,3

 

  Empréstimo de 75 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 372,83  
Fevereiro de2024 377,55  
Aumento face há um ano   4,7

 

  Empréstimo de 100 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 497,11  
Fevereiro de2024 503,66  
Aumento face há um ano   6,6

 

  Empréstimo de 125 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 621,38  
Fevereiro de2024 629,58  
Aumento face há um ano   8,2

 

  Empréstimo de 150 mil euros
  Pagava Aumento
Fevereiro de 2023 745,66  
Fevereiro de2024 755,5  
Aumento face há um ano   9,8

 

Esta inversão na subida das prestações ficará, no entanto, ainda muito longe de ultrapassar as subidas consecutivas registadas ao longo dos últimos dois anos. Analisando os mesmos exemplos verifica-se, por exemplo que um crédito indexado á Euribor 6 meses pagava uma prestação inferior a 450 euros em novembro de 2021 e hoje paga mais de 785 euros.

 

NOTA 1 | O que são as taxas Euribor

Euribor é a abreviatura de Euro Interbank Offered Rate. As taxas Euribor baseiam-se nas taxas de juro que um conjunto de bancos europeus está disposto a pagar para emprestar dinheiro uns aos outros. No cálculo, os 15% mais altos e mais baixos de todas as cotações recolhidas são eliminados. As restantes taxas são calculadas como média e arredondadas a três casas decimais. O valor das taxas Euribor é determinado e publicado diariamente. Existem cinco taxas Euribor diferentes, todas com diferentes maturidades (uma semana, um mês, três meses, seis meses e 12 meses).

 

NOTA 2 | O BCE tem três taxas de juro de referência:

- A taxa das principais operações de refinanciamento, sob a qual os bancos podem contrair empréstimos junto do BCE pelo prazo de uma semana: está nos 4,50%, mas esteve fixada em zero entre março de 2016 e julho do ano passado;

- A taxa de depósito, que determina os juros que os bancos recebem pelos depósitos realizados junto do BCE: está em 4%. Mas entre julho de 2012 e junho de 2013 era de zero. E entre junho de 2013 e julho do ano passado era negativa, obrigando os bancos a pagar pelos depósitos que faziam no BCE;

- E a taxa de cedência de liquidez, que determina o juro que os bancos pagam quando contraem empréstimos junto do BCE pelo prazo de um dia (overnight). Está atualmente em 4,75%.

Continue a ler esta notícia