A tecnologia é um elemento omnipresente no mundo do trabalho e as profissões ligadas a este setor são das mais procuradas pelas empresas. Virtual reality developer, engenheiro de segurança ou chief digital officer são funções na área das tecnologias de informação (TI) para as quais se estima um crescimento percentual a dois dígitos até 2023.

A Adecco Portugal revela o Top 10 das profissões na área TI com mais elevada procura.

  • Virtual Reality Developer

O futuro do trabalho será, cada vez mais, virtual, portanto, profissionais tech com capacidade para criar mundos digitais credíveis, que consigam construir ambientes e objetos 3D (espaços de escritório, museus, arenas de concertos, etc.), desenvolver experiências interativas, e interfaces de design que permitam um maior envolvimento das pessoas com esse mundo virtual são muito procurados.

“Em geral, as perspetivas de emprego para programadores web e designers digitais aumentarão em 22% nos próximos anos — um crescimento superior ao de outras profissões”, aponta a Adecco, em comunicado.

  • Engenheiro de segurança

Manter os dados das empresas seguros e a salvo de ataques maliciosos é uma prioridade nas organizações, por isso, engenheiros de segurança são cada vez mais procurados. “O trabalho requer um alto nível de competências sofisticadas em programação, sistemas operativos e matemática, bem como comunicação, resolução de problemas e capacidades de resposta rápida”, aponta a Adecco.

“O Bureau of Labor Statistics (BLS) projeta um crescimento de 33% entre 2020-2030 para os analistas de segurança da informação, que desempenham tarefas semelhantes, mas não idênticas às dos engenheiros de segurança.”

  • UX Designer

O design da experiência do utilizador (UX) — não confundir com o design da interface do utilizador (IU) — “implica uma compreensão mais holística e complexa de como os utilizadores interagem com produtos ou serviços e os vários pontos de contacto em que esta interação ocorre”, descreve a Adecco. Ter fortes capacidades criativas, técnicas, de resolução de problemas, bem como de retirar conclusões da investigação dos utilizadores e da análise do fluxo de trabalho são características fundamentais para o bom desempenho da função.

“Os designers Savvy UX podem ter um grande impacto nas receitas e na realização dos objetivos empresariais, fazendo desta uma profissão que o mundo empresarial compreende e está disposto a investir cada vez mais e que tem tido um crescimento contínuo”, realça a recrutadora.

  •     Chief Digital Officer (CDO)

“Este papel relativamente novo de liderança de nível C desempenhará um papel fundamental na criação e incremento de valor de empresas e organizações a utilizar informação digital e novas tecnologias, incluindo inteligência artificial, realidade virtual, IoT, e a nuvem”, considera a Adecco. “O papel será também crucial para que as empresas tradicionais encarregadas de integrar as tecnologias e processos no seu atual fluxo de trabalho, produtos, papéis dos membros da equipa, e cultura empresarial em geral, permaneçam competitivas”, refere ainda.

Embora não tenha necessariamente de possuir um conhecimento tech profundo, o CDO deverá ter competências tecnológicas e, sobretudo, saber como “gerar valor utilizando as tecnologias digitais, bem como conhecimentos comerciais e de marketing”. Fortes capacidades de influência, colaboração e comunicação são requisitos.

  •     Cientistas de dados

Data e capacidades de analytical são elementos fundamentais para uma empresa navegar nos dias de hoje de modo a poder tirar insights relevantes do manancial de informação. Não surpreende por isso que as perspetivas de carreira dos cientistas de dados — normalmente profissionais com formação em matemática, estatística ou informática, com algumas organizações a procurar candidatos com doutoramento numa destas áreas — são bastante fortes, de acordo com as previsões do BLS: uma projeção de crescimento de 36% entre 2021 e 2031.

  •     Artificial intelligence developer

Conceber, desenvolver, implementar e monitorizar sistemas de IA faz parte das funções dos criados de IA, com recurso a linguagens de programação como Java e Python, e ferramentas de análise e perfilação, bibliotecas de aprendizagem profunda, e plataformas de nuvem.

“Dado o rápido crescimento e as suas futuras aplicações previstas em todos os setores e empresas, os criadores de IA terão uma grande procura. O mercado de software de IA cresceu 54% em 2022 e está projetado para crescer 40% em 2023″, destaca a Adecco.

  •     Especialista em cibersegurança

Trabalham para garantir que as redes estão protegidas contra ameaças externas, mantendo e atualizando os sistemas de segurança, monitorizando as redes e fornecendo soluções de segurança. Para isso, é necessário o “conhecimento de vários sistemas operacionais e informáticos, dispositivos móveis, redes de nuvem e sem fios, bem como o conhecimento de técnicas de hacking“. O BLS prevê um crescimento de 35% entre 2021 e 2031.

  •     Videogame designer

Desenvolvem jogos, o que inclui a criação de personagens, enredos e cenários. Projeta-se um crescimento para a indústria global de jogos de vídeo na ordem dos 73,8% de 2020 a 2027, o que torna estes profissionais muito procurados.

  •     Cloud Engineer

Responsável por diversas atividades e processos relacionados com a cloud — desenvolvimento e implementação de políticas para a utilização desse tipo de serviços, gestão de pedidos de novas tecnologias, estabelecimento de um ambiente de cloud seguro –, a estes profissionais pede-se, entre outras competências, conhecimento do sistema operativo Linux, competências gerais de programação e DevOps. “Os profissionais de TI com conhecimentos especializados sobre nuvens terão uma procura muito alta, uma vez que a dependência do acesso remoto continua a aumentar a nível global.”

  • Profissões no metaverso

Muitas competências que as pessoas usam nos seus trabalhos atualmente serão transpostas para serem executadas no metaverso — um mundo virtual que tenta replicar o mundo real — incluindo planeamento de eventos virtuais, design de vestuário avatar, médicos metahumanos e cientistas de investigação do metaverso.

“Com um potencial de crescimento até cinco triliões de dólares até 2030, transformar o conhecimento atual de carreira numa meta-profissão é uma opção atrativa e que deve ser ponderada.”

ECO - Parceiro CNN Portugal / Ana Marcela