"Vamos continuar a lutar contra a ditadura": manifestantes mantêm protestos em Telavive apesar dos ataques de sexta-feira - TVI

"Vamos continuar a lutar contra a ditadura": manifestantes mantêm protestos em Telavive apesar dos ataques de sexta-feira

  • Agência Lusa
  • BCE
  • 8 abr 2023, 14:54
O local onde Alessandro Parini, um turista italiano, foi morto num ataque palestiniano, em Telavive (AP Photo/Oded Balilty)

As manifestações deste sábado começarão com um minuto de silêncio em memória das vítimas dos atentados

Relacionados

Os organizadores dos protestos contra a reforma judicial em Israel anunciaram que as manifestações marcadas para este sábado em Telavive vão manter-se, apesar dos atentados mortais registados na sexta-feira, e serão realizadas em coordenação com a polícia.

"Os protestos contra a ditadura continuarão conforme programado e em total coordenação com as autoridades israelitas", disseram os organizadores em comunicado.

Além disso, os organizadores das manifestações enviaram as condolências aos familiares das vítimas dos ataques de sexta-feira em Telavive e na Cisjordânia e anunciaram que as manifestações deste sábado começarão com um minuto de silêncio em sua memória, seguido do hino nacional.

"Vamos continuar a lutar contra a ditadura como se não houvesse guerra contra o terrorismo e continuaremos a apoiar as forças de defesa de Israel como se não houvesse luta contra a ditadura", explicaram os organizadores, realçando que o Governo israelita falhou em todas as áreas.

Pelo menos um homem foi morto a tiro e sete pessoas ficaram feridas, na sexta-feira à noite, num atentado no centro de Telavive, disse a organização de socorro israelita Magen David Adom (MDA), acrescentando que "todas as vítimas são turistas".

Os protestos deste sábado seguem-se a três meses de manifestações massivas contra a reforma judicial promovida pelo Governo de Benjamin Netanyahu que pretende conferir mais poder ao executivo em detrimento da justiça, cuja independência estaria profundamente prejudicada.

Embora Netanyahu tenha anunciado, recentemente, o adiamento dos processos legislativos para promover uma reforma acordada com a oposição nos próximos meses, os manifestantes mostraram a sua desconfiança quanto às reais intenções do primeiro-ministro e continuam a protestar semana após semana.

Face às manifestações deste sábado, a polícia anunciou o destacamento de milhares de agentes por todo o país com o objetivo de manter a ordem e a segurança pública.

Continue a ler esta notícia

Relacionados