“Phubbing”: o que é e como pode atrapalhar a sua relação - TVI

“Phubbing”: o que é e como pode atrapalhar a sua relação

  • CNN Brasil
  • Flávio Ismerim
  • 15 ago 2023, 10:00
Namorar (Pexels)

Pessoas correm o risco de comprometer os seus relacionamentos ao darem atenção demais para o telemóvel. Eis os conselhos de uma especialista.

Com todas as inovações tecnológicas surgem preocupações com efeitos colaterais das novidades na vida das pessoas. Um desses reflexos é o “phubbing” — junção dos termos em inglês snubbing (desprezar) e phone (telefone) — isto é, o ato de ignorar pessoas ao dar atenção demais ao telemóvel.

Dentro da dinâmica dos relacionamentos amorosos, o uso excessivo do telemóvel pode ser um empecilho. Segundo a psicóloga Ana Maria Coelho, o “phubbing” pode desencadear uma série de problemas diferentes numa relação, desde falhas na comunicação até à diminuição da conexão emocional entre os parceiros.

Phubbing é o ato de ignorar pessoas ao estar ocupado com o telemóvel

“Além disso, o phubbing pode gerar sentimentos de desprezo e desvalorização por parte do parceiro, levando a conflitos e insatisfação no relacionamento”, afirmou a psicóloga em entrevista à CNN Brasil.

A especialista alerta para problemas que podem vir na esteira do “phubbing”, como questões de privacidade, ciúmes e inseguranças, além de cobranças por rapidez nas respostas e disponibilidade — que podem ser geradas pela alta exposição na internet.

O que fazer para evitar o “phubbing”?

Para amenizar os efeitos e garantir que seu parceiro está a receber a atenção merecida, Ana Maria Coelho indicou algumas estratégias:

1 – pratique a escuta ativa
Ouça o seu companheiro com atenção e foco. Isso fortalece a comunicação e a conexão emocional.

2 – estabeleça momentos de qualidade
Aposte em momentos especiais, como jantares sem telemóveis ou atividades partilhadas que permitam tempo de qualidade juntos.

3 – reconheça e elogie
Saiba anotar e felicitar o seu parceiro pelas contribuições no relacionamento. Isso aumenta a probabilidade de que essas posturas se repitam.

4 – intervale o tempo de resposta
Em vez de responder a todas as mensagens ou notificações imediatamente, aumente o tempo que demora a responder aos estímulos do telemóvel. Isto pode evitar a dependência excessiva do aparelho.

5 – estabeleça limites
Imponha barreiras e não use telemóveis em momentos específicos, como durante as refeições ou antes de dormir.

6 – mantenha contato físico
Estreite as interações físicas para fortalecer a intimidade e a proximidade emocional.

Telemóvel como aliado nas relações

O “phubbing” não é a única consequência do uso de telemóveis nos relacionamentos. O aparelho pode — e deve — ser utilizado para potencializar as relações.

Para Ana Maria Coelho, a velocidade da comunicação via telemóvel pode ajudar os casais a manterem contato constante.

“Através de mensagens, fotos e vídeo, os parceiros podem partilhar as suas experiências diárias, criando uma sensação de conexão e intimidade, mesmo quando estão separados”, defendeu.

A psicóloga disse que o aparelho pode ajudar os parceiros a não esquecerem coisas importantes — como datas especiais, compromissos e eventos — e potencializar as atividades partilhadas dentro da relação.

Ela defende a ponderação e o “equilíbrio saudável no uso do telemóvel”, para que a tecnologia não ocupe o lugar das interações físicas e do tempo de qualidade dedicada ao parceiro.

“Utilizar a tecnologia de forma consciente e respeitosa é fundamental para que o telemóvel seja um aliado positivo nas dinâmicas dos relacionamentos.”

 

Continue a ler esta notícia

Mais Vistos