Encontrado tesouro enterrado com quase 200 moedas romanas - TVI

Encontrado tesouro enterrado com quase 200 moedas romanas

  • CNN
  • Taylor Nicioli
  • 2 mai 2023, 07:40
Moedas romanas

Um tesouro de cerca de 200 moedas foi encontrado enterrado num pote de terracota na Toscânia, na Itália.

Os arqueólogos de Livorno, em Itália, estão a juntar as peças de um grande mistério que começou com uma descoberta espantosa.

Enquanto caminhava numa área limpa de uma floresta toscana a nordeste de Livorno, um membro do Grupo Arqueológico Paleontológico de Livorno avistou algumas moedas cintilantes na terra em novembro de 2021. Após uma inspeção mais minuciosa e escavação, os investigadores determinaram que o achado incluía 175 moedas romanas de prata denarii. Quase todas estavam em bom estado, o que faz deste um dos poucos tesouros de moedas antigas encontrados intactos, segundo o grupo.

Mas a descoberta suscitou uma série de questões: de quem era o tesouro? de quem o estavam a esconder? E porque é que não voltaram para o ir buscar?

As moedas foram datadas de 157 ou 156 a.C. e as mais recentes de 83 ou 82 a.C. 

O grupo arqueológico, juntamente com a arqueóloga oficial das províncias de Pisa e Livorno, Lorella Alderighi, passou mais de um ano a medir, pesar e documentar as moedas, de acordo com um comunicado de imprensa publicado na sua página do Facebook. Agora, os investigadores pensam ter algumas respostas.

“Este tesouro é sobre a vida de uma pessoa, as poupanças da vida de um soldado e as suas esperanças de construir a sua quinta”, disse Alderighi por correio eletrónico. “No entanto, também conta uma história triste: o dono das moedas morreu antes de poder realizar os seus sonhos com as suas poupanças. As moedas contam a sua história”.

O tesouro será brevemente apresentado numa exposição no Museu de História Natural do Mediterrâneo, em Livorno, de 5 de maio a 2 de julho, disse Alderighi.

O passado misterioso das moedas

É impossível saber exatamente quem enterrou as moedas, disse Alderighi, mas o mais provável é que as moedas tenham sido o tesouro de um antigo soldado que serviu durante a Guerra Social de Roma de 91 a 88 a.C. e durante a guerra civil entre Sulla e os Marianos de 83 a 82 a.C.

Quase todas as 175 moedas estavam intactas e em bom estado, com exceção de duas que estavam fragmentadas mas podem ser restauradas. 

O dono do tesouro enterrou-o num pote de terracota, que serviu como uma espécie de mealheiro. As moedas mais antigas datam de 157 ou 156 a.C. e as mais recentes de 83 ou 82 a.C., segundo o comunicado do grupo arqueológico.

Nessa altura, 175 denários seriam o salário de um soldado durante cerca de um ano e meio, disse Alderighi. Atualmente, o tesouro tem um valor de cerca de 20 mil a 25 mil euros, acrescentou.

As moedas estavam bem conservadas no seu estado enterrado. Apenas duas estão fraturadas, mas podem ser montadas de novo, refere o comunicado. O seu estudo poderá fornecer aos estudiosos mais informações sobre a história das moedas e a forma como as pessoas as utilizavam e poderá mesmo levar a alterações na tipologia fundamental - criada em 1974 e ainda hoje utilizada - para identificar e datar as moedas romanas, acrescentou.

“Trata-se de um dos poucos tesouros de moedas antigas encontrados intactos e fornece muitas informações numismáticas, históricas e sociais”, afirmou Alderighi.

Continue a ler esta notícia