"Podemos fazer tudo na Europa" no setor da defesa, "até a bomba atómica" - TVI

"Podemos fazer tudo na Europa" no setor da defesa, "até a bomba atómica"

  • Agência Lusa
  • PF
  • 6 set 2023, 17:47
Thierry Breton, comissário europeu para o Mercado Interno

Palavras de Thierry Breton, comissário europeu do Mercado Interno

O comissário europeu do Mercado Interno defendeu hoje que a União Europeia (UE) “tem capacidade de fazer tudo” em termos de defesa, ironizando que a tecnologia europeia até permitiria fabricar uma bomba atómica, e exortou a mais investimento.

“Podemos fazer tudo na Europa, temos capacidade de fazer tudo. Podemos fazer melhor, podemos fazer submarinos, podemos fazer porta-aviões, podemos fazer os melhores caças aéreos, podemos fazer mísseis hipersónicos, até a bomba atómica, podemos fazer tudo em termos de tecnologia para a defesa da Europa”, disse Thierry Breton.

Num encontro com a imprensa europeia em Bruxelas, incluindo a agência Lusa, o responsável europeu pela tutela considerou ser necessário “continuar a melhorar, trabalhar em conjunto, e é aqui que entra o Fundo de Defesa”, falando num instrumento de “enorme sucesso” que abrange Estados-membros e empresas, nomeadamente de pequena e média dimensão.

Até ao final de 2022, o Fundo Europeu de Defesa permitiu investir 1,9 mil milhões de euros em projetos de investigação e desenvolvimento das capacidades no domínio da defesa, visando também a inovação no setor.

Bruxelas admite explorar novos instrumentos para incentivar a aquisição conjunta de capacidades de defesa desenvolvidas de forma colaborativa na UE, como novas soluções de financiamento e mecanismos de bónus do Fundo Europeu de Defesa.

Em fevereiro de 2022, a Comissão Europeia apresentou uma nova visão para o reforço da defesa europeia, estipulando iniciativas para o setor e para a segurança na UE, bem como um roteiro para as tecnologias críticas.

Thierry Breton vincou que o contexto geopolítico, nomeadamente marcado pela guerra da Ucrânia causado pela invasão russa, levou a “enorme mudança de conduta” na UE relativamente à área de defesa.

“Há até quem diga que foi um salto quântico”, acrescentou.

De acordo com o comissário europeu da tutela, hoje “a Europa tem uma visão global” em áreas como a cibersegurança, o espaço, a tecnologia de defesa, mas isso não era um dado adquirido”.

Continue a ler esta notícia