Dono do Titan estava "cansado" de ouvir "argumentos de segurança" e "gritos infundados de 'ainda vai matar alguém'" - TVI

Dono do Titan estava "cansado" de ouvir "argumentos de segurança" e "gritos infundados de 'ainda vai matar alguém'"

  • CNN Portugal
  • MM
  • 23 jun 2023, 18:02

Stockton Rush, o CEO da OceanGate Expeditions, estava entre os cinco ocupantes do submersível que implodiu durante uma expedição aos destroços do Titanic. Troca de emails revelada pela BBC mostra como ignorou repetidos alertas

Relacionados

Stockton Rush, o CEO da OceanGate Expeditions, empresa proprietária do Titan, que morreu no submersível que implodiu esta semana, ignorou repetidos alertas sobre a segurança do Titan. É o que mostra uma troca de emails com um especialista em exploração em alto mar, agora passada em revista pela BBC.

Nessa troca de emails, Rob McCallum disse claramente ao homem forte da OceanGate que ele estava a colocar a vida dos seus clientes em risco e alertou-o que era melhor parar de usar o submarino até que este fosse classificado por um órgão independente.

“Acho que está potencialmente a colocar-se a si e aos seus clientes numa posição muito perigosa”, escreveu o especialista, num email datado de março de 2018.

"Até que um submarino seja classificado, testado e comprovado como seguro, ele não deve ser usado para operações comerciais de mergulho profundo", escreveu ainda.

"Imploro que tome todo o cuidado nos seus testes e seja muito, muito conservador. (…) Por mais que eu aprecie o empreendedorismo e a inovação, você está potencialmente a colocar todo um setor em risco", argumentou também.

Uns dias depois, Rush respondeu a McCallum. Disse que a "abordagem inovadora e focada em engenharia da OceanGate... vai contra a ortodoxia submersível”. “Mas essa é a natureza da inovação", argumentou.

Escreveu ainda que os atuais "atores do setor" estavam a tentar impedir a entrada de novos players no negócio.

“Estou bem qualificado para entender os riscos e problemas associados à exploração submarina num novo veículo”, assegurou.

Stockton Rush reforçou a cartada da inovação e da investigação científica e respondeu que estava "cansado de participantes da indústria que tentam usar um argumento de segurança para impedir a inovação".

"Ouvimos os gritos infundados de 'ainda vai matar alguém' com muita frequência. Considero isso um sério insulto pessoal", escreveu Stockton Rush.

Rob McCallum insistiu: "Serão testes no mar que vão determinar se o veículo está apto para lidar com o que você pretende fazer com ele; tome cuidado e mantenha-se seguro."

"Há muito mais em jogo do que Titan e o Titanic", reforçou.

De acordo com a BBC, a troca de emails só parou quando os advogados da OceanGate ameaçaram McCallum com um processo.

Stockton Rush, de 61 anos, era o CEO da OceanGate Expeditions, empresa responsável pelas viagens ao Titanic e que o próprio fundou em 2009. Tinha a reputação de amante da natureza, aventureiro e visionário, como descreve a CNN Internacional. E não temia o risco. “Em algum momento, a segurança é puro desperdício”, disse Stockton numa entrevista dada no ano passado.

“Se só quer estar seguro, não saia da cama. Não entre no seu carro. Não faça nada”, atirou.

Apesar de ter alimentado durante anos o sonho de viajar até ao espaço, Rush terá desistido quando Richard Branson anunciou a sua primeira expedição comercial. E foi a partir daí que passou a focar-se no fundo dos oceanos: “O futuro da humanidade está debaixo de água, não em Marte”, disse, numa outra entrevista.

Wendy Rush, mulher do empresário, é descendente de duas vítimas do naufrágio do Titanic, em 1912, escreve o New York Times.

Continue a ler esta notícia

Relacionados