A Torre de Pisa já esteve perigosamente inclinada. Agora a história é diferente - TVI

A Torre de Pisa já esteve perigosamente inclinada. Agora a história é diferente

  • CNN
  • Sharon Braithwaite
  • 17 ago 2023, 10:00
Torre de Pisa em Itália Fotos Getty Images

A famosa torre italiana está a celebrar o seu 850º aniversário

Já se temeu que a Torre de Pisa estivesse à beira do colapso, pois a inclinação que a tornou um marco tão popular ameaçava a sua própria existência.

Mas esta semana, quando o monumento comemorou o seu 850º aniversário, a sua aparição em fotografias turísticas de brincadeira ficou assegurada para os próximos anos, uma vez que os seus guardiões lhe deram um atestado de boa saúde.

"Hoje, a Torre é um monumento estável", disse Andrea Maestrelli, presidente da Opera della Primaziale Pisana (OPA), o organismo com mais de mil anos que cuida do complexo da catedral que inclui a torre de sinos, numa conferência de imprensa em que foram delineados os eventos para celebrar o seu aniversário.

Nem sempre foi assim. No início dos anos 90, a torre, peça central de um Património Mundial da UNESCO, atingiu uma inclinação de 4,5 graus e os receios quanto à sua estabilidade levaram a um esforço internacional para impedir a sua queda, com trabalhos que duraram oito anos a partir de 1993.

Agora, os especialistas dizem que o seu futuro é "brilhante", com a vigilância por satélite e terrestre a vigiar até a mais pequena mudança na sua posição, tornando a famosa torre sineira num dos monumentos mais monitorizados do mundo.

A primeira pedra da Torre de Pisa foi colocada a 9 de agosto de 1173, "graças à doação de 60 moedas feita por uma viúva chamada Berta, para a construção do campanário da nossa catedral", afirmou o Arcebispo de Pisa, Giovanni Paolo Benotto, durante a conferência de imprensa de quarta-feira.

Problemas desde o início

Os especialistas afirmam que o futuro da torre está assegurado após os trabalhos de reparação para a manter de pé. Ignacio Palacios/Stone RF/Getty Images

Os problemas com a estabilidade da torre começaram cedo. A construção foi interrompida na altura do terceiro nível aberto de colunas devido a subsidência e só foi retomada em 1275, quando foram acrescentados mais três níveis.

Numa tentativa de endireitar a torre, os três últimos pisos curvaram-se na direção oposta à da inclinação. A torre foi concluída em meados do século XIV, altura em que foi acrescentado o campanário.

Com o agravamento da inclinação, no final do século XX, a terra foi retirada das fundações do lado norte através de uma série de perfurações, provocando uma redução impercetível da inclinação.

O último relatório do grupo de vigilância que controla o monumento "salientou que a inclinação diminuiu cerca de 460 milímetros, disse Maestrelli, acrescentando que a inclinação regressou à do início do século XIX.

A terra foi extraída das fundações da Torre de Pisa para ajudar a reduzir a sua inclinação. Giulio Andreini/Hulton Archive/Getty Images

Os trabalhos de consolidação permitiram a esta torre encarar o futuro com "grande confiança", acrescentou.

Atualmente, a torre é o caso de estudo no centro de um dos sistemas de monitorização mais complexos do mundo, explicou o diretor técnico da OPA, Roberto Cela. Graças a um acordo entre o Ministério do Património Cultural italiano e a OPA, os especialistas integram a monitorização por satélite com os dados recolhidos ao nível do solo.

O progresso destas actividades de monitorização terrestre e por satélite será apresentado no próximo ano, no âmbito da série de eventos programados para celebrar o 850º aniversário da torre.

Continue a ler esta notícia