O número trabalhadores estrangeiros que se inscreveram no IEFP nos últimos dois meses a sinalizar a sua disponibilidade para trabalhar em Portugal ascendeu a 144 mil, segundo indicou esta sexta-feira a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho.

“À data de hoje temos 144 mil estrangeiros que se inscreveram nos últimos dois meses [no Instituto do Emprego e da Formação Profissional -IEFP] sinalizando a sua vontade de vir trabalhar para Portugal”, disse a ministra.

Ana Mendes Godinho falava numa conferência de imprensa com os ministros da Economia, António Costa Silva, e das Finanças, Fernando Godinho, de balanço da atividade das áreas tuteladas por estes ministérios e perspetivas para 2023.

Em causa está o novo visto de procura de trabalho, criado aquando da alteração da lei da permanência em Portugal, que prevê a possibilidade de os estrangeiros que querem vir trabalhar para Portugal se inscreveram no site do IEFP.

Ana Mendes Godinho adiantou ainda que no âmbito da resposta portuguesa à crise de refugiados da Ucrânia, os últimos dados apontam para a capacidade de integração no mercado de trabalho de 7.100 cidadãos ucranianos.

Em março, foi aprovado um mecanismo simplificado para a obtenção de proteção temporária por parte de refugiados ucranianos, prevendo que os cidadãos que cheguem a Portugal tenham a garantia de ficar em situação regular, sendo-lhes atribuído de forma automática número de identificação fiscal (NIF), número de identificação da Segurança Social (NISS) e número de utente do Serviço Nacional e Saúde (SNS).

/ WL