Tracking poll: AD inicia fuga ao pelotão com subida de 1 ponto. PS e Chega descem 1 ponto - TVI

Tracking poll: AD inicia fuga ao pelotão com subida de 1 ponto. PS e Chega descem 1 ponto

  • CNN Portugal
  • NM
  • 3 mar, 20:22

Resultados ainda não têm em conta a entrada de António Costa na campanha do PS, no comício do Porto, no Pavilhão Rosa Mota

Se as eleições legislativas se realizassem hoje... a AD venceria. É isto que indica a tracking poll IPESPE/ Duplimétrica para a TVI e a CNN Portugal de hoje, que apresenta um distanciamento mais alargado entre AD e PS, com Montenegro a subir 1 ponto nas intenções de voto e Pedro Nuno a descer 1 ponto.

O trabalho de campo incidiu nos dias 29 de fevereiro e 1 e 2 de março, contando já com o impacto da notícia avançada pelo Exclusivo no Jornal Nacional da TVI, sobre o financiamento do Chega e a subsequente reação de André Ventura ainda não afetaram esta estimativa.

O inquérito ainda não tem em conta, no entanto, a entrada de António Costa na campanha eleitoral do PS. O primeiro-ministro demissionário discursou no sábado no comício socialista no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, com palavras para os indecisos e para a AD. 

A AD subiu 1 ponto e tanto PS como Chega desceram 1 ponto para os 21% e 14%, respetivamente. Há ainda a destacar mais três subidas e duas descidas, todas com variações de um ponto percentual: BE subiu para os 5%, IL desceu para 3%, Livre e CDU passam dos 2% para 3% e os indecisos desceram para os 17%, à medida que se aproxima o dia 10 de março. O PAN mantém-se com 1%.

A tracking poll não faz previsão de resultados finais, ela permite sobretudo fazer análises de tendências. Trata-se de uma ferramenta comum em diversos países, sendo também historicamente usada por partidos políticos portugueses, que as usam apenas internamente e para ir avaliando a evolução da campanha. Como há dois anos, nas legislativas de 2022, a TVI e a CNN publicarão resultados de evolução diária.

A tracking poll é feita a partir de um painel móvel de 600 pessoas representativas do eleitorado. Deste painel, todos os dias são retiradas 200 pessoas e acrescentadas outras 200 (ver ficha técnica em baixo).

Sondagem diária

  PS AD Chega IL BE CDU
24/fev 22 23 16 6 5 2
25/fev 21 25 14 6 5 2
26/fev 21 26 14 5 4 2
27/fev 21 27 14 5 4 2
28/fev 22 27 14 5 4 2
29/fev 22 27 15 5 5 2
1/mar 22 28 14 5 4 2
2/mar 22 28 15 4 4 2
3/mar 21 29 14 3 5 3

 

  PAN Livre ADN Indecisos  
24/fev 1 3 - 18 5
25/fev 1 3 1 17 5
26/fev 1 3 1 19 5
27/fev 1 3 1 17 6
28/fev 2 3 0 16 5
29/fev 1 3   15 5
1/mar 1 3   17 4
2/mar 1 2   18 4
3/mar 1 3   17 3

Ficha técnica

A presente sondagem foi realizada pelo IPESPE/ Duplimétrica para a TVI e a CNN Portugal.

As entrevistas aleatórias por cotas foram realizadas nos dias 29 de fevereiro, 1 e de março de 2024.

Foram realizadas 200 entrevistas por dia, totalizando 600 entrevistas, representativas do eleitorado recenseado de Portugal, com 18 anos e mais, tendo por base os critérios de género (53% mulheres e 47% homens), idade (24% com 18 a 34 anos; 33% com 35 a 54 anos; e 43% com 55 anos e mais), e região (19% Norte, 15% Grande Porto, 23% Centro, 28% Lisboa, 11% Sul e 5% Ilhas).

A margem de erro máxima para o total da amostra é de 4,1 pontos percentuais, para um grau de confiança de 95,45%.

A seleção dos entrevistados foi realizada através de geração aleatória de números de “telemóvel”, mantendo um proporção aproximada dos três principais operadores móveis. Quando necessário, foram selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral.

As entrevistas foram recolhidas através de entrevista telefónica (CATI – Computer Assisted Telephone Interviewing). A taxa de resposta foi de 56,34%.

O Tracking teve como objetivo o acompanhamento da evolução da opinião dos eleitores portugueses sobre temasrelacionados com as eleições legislativas, a serem realizadas no dia 10 de março de 2024.

A ficha técnica completa e os resultados desta sondagem foram depositados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social.

Continue a ler esta notícia

EM DESTAQUE