A Ucrânia diz que parou um míssil que a Rússia disse ser imparável - TVI

A Ucrânia diz que parou um míssil que a Rússia disse ser imparável

  • CNN
  • Análise de Tim Lister
  • 8 mai 2023, 08:00
O lançador de mísseis russo Iskander-E durante um teste, nos arredores de Moscovo, a 17 de agosto de 2022. Maxim Shemetov/Reuters/File

Relacionados

A afirmação da Ucrânia de que a defesa antiaérea Patriot, de fabrico norte-americano, abateu um dos mísseis balísticos mais modernos da Rússia é um momento notável do conflito, que já vai no seu 15.º mês.

O presidente russo, Vladimir Putin, e os militares russos têm elogiado o Kinzhal, ou Kh-47, como um exemplo do arsenal de mísseis modernizado da Rússia, alegando que a sua velocidade hipersónica o torna extremamente difícil de interceptar.

Um míssil balístico lançado do ar - o Kh-47 tem um alcance de cerca de 2.000 quilómetros - pode ser disparado longe do campo de batalha.

Viaja a cerca de 10 vezes a velocidade do som e tem origem no míssil balístico Iskander, de menor alcance, que é lançado do solo. Transporta uma ogiva de cerca de 500 quilos.

Os serviços secretos ucranianos acreditam que a Rússia tem apenas algumas dezenas de mísseis Kinzhal no seu arsenal - uma afirmação que não pôde ser verificada de forma independente.

Vários mísseis Kinzhal foram lançados contra alvos ucranianos em março, mas não se sabe ao certo que danos causaram ou se todos atingiram os seus alvos. Em abril, o Ministério da Defesa da Ucrânia disse que os sistemas Patriot tinham chegado, provenientes dos EUA, da Alemanha e dos Países Baixos.

Caça MiG-31 durante uma atuação no Dia da Vitória, na Praça Vermelha, em Moscovo, Rússia. Sefa Karacan/Anadolu Agency/Getty Images/File

Se um destes sistemas destruiu agora um Kh-47, como alegam os ucranianos, isso põe em causa as capacidades de uma das armas de nova geração da Rússia.

Desde que o Kinzhal foi testado pela primeira vez, Putin disse ao Conselho Federal da Rússia em 2018: "As características únicas do porta-aviões de alta velocidade permitem que o míssil atinja o alvo em minutos."

Ele também disse que sua velocidade hipersónica permitiria "superar todos os sistemas de defesa antiaérea e antimísseis existentes, e futuros, lançando ogivas nucleares e convencionais num alcance de mais de 2.000 quilómetros".

A Rússia tem feito afirmações ambiciosas sobre vários dos seus sistemas militares mais recentes, mas a sua capacidade não está comprovada.

Apesar de utilizado em pequeno número, o mais recente carro de combate russo, o T-90M, tem-se mostrado vulnerável a munições pouco sofisticadas e o navio-almirante da frota russa do Mar Negro, o Moskva, foi afundado no início do conflito.

Os analistas têm questionado as capacidades do Kinzhal durante a fase final do seu voo, sugerindo que pode não ser tão manobrável ou tão rápido quando se aproxima de um alvo.

A presença dos Patriot representa uma mudança radical nas capacidades de defesa aérea da Ucrânia, que têm sido altamente dependentes das defesas aéreas S-300 da era soviética - para as quais as munições parecem agora escassear.

Os Patriot dão uma dimensão moderna às camadas de defesa aérea da Ucrânia, tal como o sistema alemão IRIS-T. Mas também é muito mais complexo, exigindo cerca de 100 pessoas para o operar.

O porta-voz da força aérea ucraniana, Yurii Inhat, disse no sábado que os russos "estavam a dizer que o Patriot é uma arma americana ultrapassada e que as armas russas são as melhores do mundo".

"Bem, há a confirmação de que funciona eficazmente mesmo contra um míssil hipersónico", disse Ihnat, acrescentando que a interceção do Kinzhal é "uma bofetada na cara da Rússia".

Continue a ler esta notícia

Relacionados