Bloguista polémico do Uganda morto a tiro por desconhecido - TVI

Bloguista polémico do Uganda morto a tiro por desconhecido

  • Agência Lusa
  • PP
  • 7 mai 2023, 11:57
Uganda: Do topo de um dos picos mais altos do Parque Nacional Bwindi, os futuros visitantes podem ver as maravilhas naturais do Uganda. (Shakked Schwartz/Moment RF/Getty Images)

De acordo com Luke Owoyesigyire, o bloguista foi atacado por volta das 21:20 locais quando seguia no seu carro, acompanhado pelo seu motorista

O polémico bloguista ugandês Ibrahim Tusubira, popularmente conhecido como Isma Olaxes, foi morto a tiro no sábado à noite por um atirador não identificado, confirmou hoje a polícia ugandesa, citada pela EFE.

"É com profundo pesar que comunicamos a infeliz morte de Tusubira" na cidade de Kyanja, nos arredores da capital Campala, disse o porta-voz adjunto da Polícia Metropolitana de Campala numa declaração publicada no twitter ao fim do dia de sábado.

De acordo com Luke Owoyesigyire, o bloguista foi atacado por volta das 21:20 locais quando seguia no seu carro, acompanhado pelo seu motorista.

"Os relatórios preliminares indicam que um atirador não identificado, armado com uma metralhadora, abriu fogo contra o veículo, resultando na morte de Tusubira", disse o porta-voz.

Foi aberta uma investigação com agentes destacados para o terreno, acrescentou Owoyesigyire.

Segundo os meios de comunicação social locais, Tusubira era um crítico feroz da oposição, em particular do antigo presidente do parlamento Robert Kyagulanyi, mais conhecido por Bobi Wine, e do seu partido, a Plataforma de Unidade Nacional (NUP).

O bloguista chegou a afirmar que a repressão dos protestos antes das eleições de janeiro de 2021, em que pelo menos 54 manifestantes foram mortos após as forças de segurança terem utilizado munições reais, deveria ter sido ainda mais dura.

No entanto, Tusubira também criticou, por vezes, o Movimento de Resistência Nacional (NRM), no poder, chegando mesmo a celebrar ‘online’ a morte, esta semana, do vice-ministro do Trabalho, o coronel reformado Charles Okello Engola, depois de um dos seus guarda-costas, um soldado do exército ugandês, o ter baleado.

O Uganda é governado desde 1986 pelo Presidente Yoweri Museveni, que foi reeleito nas eleições de janeiro de 2021, após um período eleitoral caracterizado pela repressão de manifestações e também pela detenção de centenas de apoiantes da oposição. Um número desconhecido de pessoas continua desaparecido.

Continue a ler esta notícia

EM DESTAQUE