Portugal, Espanha e França enviam 280 bombeiros para ajudar Canadá a combater fogos - TVI

Portugal, Espanha e França enviam 280 bombeiros para ajudar Canadá a combater fogos

  • Agência Lusa
  • MM
  • 8 jun 2023, 11:56
Incêndio no Canadá (AP)

O Canada combate centenas de incêndios, a maioria na província do Quebec

Portugal, Espanha e França vão enviar 280 bombeiros para ajudar o Canadá a combater os intensos incêndios florestais no país, ao abrigo do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia (UE), anunciou esta quinta-feira a Comissão Europeia.

“Estamos solidários com o Canadá face aos terríveis incêndios florestais. O Canadá solicitou o apoio do Mecanismo de Proteção Civil da UE e nós estamos a responder prontamente”, anunciou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, numa publicação na rede social Twitter.

A responsável especificou que Portugal, Espanha e França estão a “oferecer a ajuda de mais de 280 bombeiros”.

Também o comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic, indicou através do Twitter que, “a pedido do Canadá para assistência no combate a incêndios florestais extremos, foi ativado o Mecanismo de Proteção Civil da UE”.

“França, Espanha e Portugal já disponibilizaram um número substancial de bombeiros para ajudar as equipas nacionais e outras equipas próximas”, mas a UE “está pronta para prestar mais assistência”, garantiu Janez Lenarcic.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, anunciou na quarta-feira a chegada de "centenas de bombeiros norte-americanos" para combater os incêndios florestais no Canadá, cujo fumo já chegou à costa leste dos Estados Unidos.

O Canadá combatia na terça-feira mais de 400 incêndios ativos, com a maior fatia na província do Quebec.

O país registou este ano 2.293 incêndios florestais e cerca de 3,8 milhões de hectares ardidos, acima da média das últimas décadas.

O primeiro-ministro do Quebec, François Legault, anunciou na segunda-feira que a província esperava a chegada de 200 bombeiros especializados no combate a incêndios florestais da França e dos Estados Unidos e que estava em negociações com outros países, como Costa Rica e Chile, para enviar mais pessoal, se necessário.

Legault recomendou aos habitantes da província que fechassem as janelas e evitassem realizar atividades físicas ao ar livre, principalmente as pessoas que sofrem de problemas respiratórios.

Já Justin Trudeau apontou para as mudanças climáticas como a razão para o aumento do número de grandes incêndios, que “estão a afetar as rotinas diárias, vidas e meios de subsistência e a nossa qualidade do ar”.

“Continuaremos a trabalhar – aqui em casa e com parceiros em todo o mundo – para enfrentar as mudanças climáticas e lidar com os seus impactos”, prometeu Trudeau.

Continue a ler esta notícia