Sete Rios (Lisboa) vai receber em breve centro de atendimento para retirar utentes das urgências - TVI

Sete Rios (Lisboa) vai receber em breve centro de atendimento para retirar utentes das urgências

  • Agência Lusa
  • BCE (atualizada às 11:20)
  • 10 jul, 10:06
Greve na saúde

O anúncio foi feito pela ministra da Saúde, Ana Paula Martins

Relacionados

Um centro clínico de atendimento vai estar a funcionar em breve em Sete Rios, Lisboa, para retirar das urgências os casos que não são efetivamente urgentes, anunciou a ministra da Saúde.

Ana Paula Martins, que está a ser ouvida esta quarta-feira na comissão parlamentar de saúde, disse que esta solução seria idêntica àquela que começará a funcionar no Hospital da Prelada, no Porto.

Ana Paula Martins reconheceu que muitas pessoas recorrem aos serviços de urgência por não terem resposta nos centros de saúde e, por isso, espera que estes centros clínicos possam retirar das urgências as chamadas pulseiras azuis e verdes (não urgentes).

Explicou ainda que estes centros clínicos de atendimento irão observar os doentes e encaminhá-los para os cuidados de saúde primários ou para consultas hospitalares.

O Governo tem como objetivo dar um médico de família a 1,7 milhões de cidadãos que não o têm, um objetivo que a ministra reconheceu não poder ser alcançado "a breve trecho".

Falta operar 349 doentes oncológicos dos quase 10 mil que aguardavam cirurgia em abril

Dos 9.374 doentes que aguardavam cirurgia oncológica no início do programa de emergência para a saúde, em abril, estão 349 por operar, anunciou  a ministra da Saúde, em resposta a questões levantadas pela deputada socialista Mariana Vieira da Silva sobre os doentes oncológicos que foram operados no Serviço Nacional de Saúde.

Na sua intervenção, Mariana Vieira da Silva afirmou que “nos últimos tempos” houve “inúmeros títulos” de jornais e discursos de membros do Governo sobre a redução de 30% das listas de espera, mas os dados que o Ministério da Saúde tornou públicos é que a redução é na ordem dos 7%.

Em resposta, a secretária de Estado da Saúde, Ana Povo, precisou que em 30 de abril estavam inscritos em cirurgia oncológica 9.374 doentes, dos quais 2.645 ultrapassavam o tempo máximo de resposta.

“A 28 de junho, temos uma diminuição que não é de 30%. O que nós referimos 30% é na lista geral”, argumentou Ana Povo, sublinhando que na lista oncológica houve uma diminuição de 7% dos doentes, verificando-se também “uma redução significativa” nos doentes acima do tempo máximo de resposta garantida.

A ministra da Saúde acrescentou, citando dados da Direção Executiva do SNS, que dos 9.734 doentes que aguardavam cirurgia oncológica no início do programa de emergência, restam operar 349, no âmbito do programa OncoStop.

E adiantou que todos os dias entram novos doentes em lista de espera, referindo que as novas entradas rondam os 8.000 doentes.

Continue a ler esta notícia

Relacionados