Ministério abre 2.242 vagas para formação médica especializada em 2024 - TVI

Ministério abre 2.242 vagas para formação médica especializada em 2024

  • Agência Lusa
  • PF
  • 27 out, 07:21
Médicos (imagem Getty)

Segundo o Governo, vão ser abertas mais 188 vagas do que em 2023

Relacionados

O Ministério da Saúde anunciou esta sexta-feira a abertura de 2.242 vagas para formação médica especializada em 2024, “o maior mapa de vagas de sempre”, sendo a especialidade de Medicina Geral e Familiar a área com maior número de vagas

Segundo o Ministério da Saúde (MS), vão ser abertas mais 188 vagas do que em 2023, quando foram colocados a concurso 2.054 lugares, permitindo “ir ao encontro das expectativas dos jovens médicos, maximizando-se a capacidade de formação do SNS [Serviço Nacional de Saúde], sobretudo nas especialidades mais carenciadas”.

O MS refere em comunicado que, “correspondendo ao compromisso político de alargar o número de cidadãos com equipa de família, a especialidade de Medicina Geral e Familiar é a que reúne o maior número de vagas, precisamente 617, mais 43 (+8%) em relação a 2023, correspondendo ao “maior número de vagas de sempre nesta especialidade central para o sistema de saúde”.

O mapa conta ainda com o maior número de vagas de sempre em especialidades como Pediatria (110), Anestesiologia (98) e Ginecologia/Obstetrícia (67).

O Governo realça que, este ano, pela primeira vez, o mapa foi desenhado de forma a reforçar a capacidade de formação dos hospitais das zonas de baixa densidade populacional.

“Estes hospitais nem sempre conseguem ter idoneidade formativa para abrir vagas nas especialidades em que têm carências, por não conseguirem assegurar a diferenciação da formação nos vários e anos e fases necessários para adquirir os conhecimentos e técnicas das diferentes especialidades”, refere no comunicado.

Assim, o mapa agora aprovado conta com um total de 10 vagas para internos que serão fixados nos hospitais de zonas de baixa densidade, mas que farão a sua formação em colaboração com outras unidades hospitalares, um “primeiro passo do programa Mais Médicos”, anunciado no início do ano pelo Ministro da Saúde, Manuel Pizarro.

Em causa está uma vaga de Anestesiologia para a Unidade Local de Saúde (ULS) do Baixo Alentejo, uma vaga de Ortopedia e uma de Pediatria para a ULS do Norte Alentejano, uma de Anestesiologia e uma de Ginecologia/Obstetrícia para o Centro Hospitalar da Cova da Beira, uma de Ginecologia/Obstetrícia e uma de Radiologia para a ULS da Guarda, uma de Radiologia e uma de Ortopedia para a ULS de Castelo Branco e uma de Anestesiologia para a ULS do Nordeste.

Segundo o Ministério da Saúde, os internos iniciarão a sua formação especializada a 01 de janeiro de 2024.

Para o concurso que vai agora decorrer estão inscritos 1.833 jovens médicos, que são candidatos pela primeira vez, por estarem a terminar o ano de formação geral, “o que significa que o número de vagas supera largamente o número de médicos que se formaram recentemente no país”.

Há, ainda, outros médicos que se candidatam estando neste momento fora do sistema de saúde ou que querem mudar de especialidade.

“Este aumento do número de vagas, construído em estreita cooperação com a Ordem dos Médicos, consolida o compromisso do Ministério da Saúde de reforçar a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde e de assegurar a renovação dos profissionais das diferentes áreas”, salienta no comunicado.

A elaboração do mapa de vagas resulta de “um trabalho intenso” da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), com o apoio e cooperação da Ordem dos Médicos e o envolvimento do Conselho Nacional do Internato Médico.

O Ministério da Saúde assegura que “continuará a incentivar esta colaboração, de modo a instituir uma cultura de planeamento e previsibilidade, que permita alinhar a formação de médicos especialistas com a necessidade do país nas diferentes especialidades”.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

Mais Vistos

EM DESTAQUE