Novos robotáxis em São Francisco já tiveram acidentes na estrada. Autoridades querem saber porquê - TVI

Novos robotáxis em São Francisco já tiveram acidentes na estrada. Autoridades querem saber porquê

  • CNN
  • Samantha Delouya
  • 3 set 2023, 17:00
crise dos robotáxis em São Francisco

Um acidente contra um camião dos bombeiros que ia contornar um sinal vermelho em ação e outro acidente com um condutor que passou o semáforo encarnado levam a reduzir número de robotáxis, veículos sem condutor.

GM reduz em 50% a frota de robotáxis Cruise em São Francisco depois de acidentes

As autoridades da Califórnia pediram à General Motors que retirasse "imediatamente" da estrada alguns dos seus robotáxis Cruise, depois de veículos autónomos da marca se terem envolvido em duas colisões - incluindo uma com um camião de bombeiros em ação - na semana passada, em São Francisco.

O Departamento de Veículos Motorizados (DMV) da Califórnia confirmou à CNN que está a investigar "os recentes incidentes envolvendo veículos Cruise em São Francisco".

"O DMV está em contacto com a Cruise e com as autoridades policiais para determinar os factos e solicitou à Cruise que reduzisse imediatamente a sua frota ativa de veículos em funcionamento em 50% até que a investigação esteja concluída e a Cruise tome as medidas correctivas adequadas para melhorar a segurança rodoviária", afirmou o departamento num comunicado.

Isso significa que a Cruise, que é a subsidiária autónoma da General Motors (GM), não pode ter mais de 50 veículos sem condutor em funcionamento durante o dia e 150 em funcionamento à noite, de acordo com o departamento.

O DMV da Califórnia disse que a Cruise concordou com o pedido, e um porta-voz da Cruise disse à CNN que a empresa também está a investigar o acidente com o camião dos bombeiros.

Acidentes ocorrem logo depois da grande vitória de Cruise em São Francisco

Os acidentes ocorreram menos de duas semanas depois de os reguladores da Califórnia darem luz verde oficialmente à Cruise e ao concorrente Waymo para cobrarem dinheiro por viagens de robotáxi em São Francisco a qualquer hora do dia. Antes da aprovação, a Cruise só estava autorizada a oferecer um serviço de transporte de passageiros a partir de carros sem condutor durante a noite, entre as 22h00 e as 6h00, quando há menos peões ou trânsito que possam confundir o software do veículo autónomo.

As colisões, que ocorreram na quinta-feira, revelam os riscos potenciais da tecnologia sem condutor.

Numa publicação no blogue, o diretor-geral da Cruise em São Francisco afirmou que o acidente com o camião dos bombeiros ocorreu quando um veículo de emergência que parecia estar a caminho de um local de emergência se deslocou para uma faixa de trânsito em sentido contrário para contornar um sinal vermelho. O carro sem condutor da Cruise identificou o risco, segundo a publicação no blogue, mas "acabou por não conseguir evitar a colisão".

O acidente fez com que um passageiro fosse levado ao hospital de ambulância por ferimentos aparentemente leves, de acordo com a empresa.

A Cruise disse à CNN que o outro acidente na quinta-feira ocorreu quando outro carro passou um sinal vermelho "em alta velocidade".

"O AV detectou o veículo e travou, mas o outro veículo entrou em contacto com o nosso AV. Não havia passageiros no nosso AV e o condutor do outro veículo foi tratado e libertado no local", disse Hannah Lindow, porta-voz da Cruise, à CNN.

Não é claro se os dois acidentes teriam sido evitados se houvesse um condutor humano em vez de um veículo autónomo (AV) envolvido - mas os acidentes não foram os únicos dois incidentes envolvendo os carros sem condutor da Cruise em São Francisco na semana passada.

Protestos de motoristas de táxi contra a entrada em funcionamento de robotáxis emm São Francisco.

Na terça-feira, a Cruise confirmou na X, anteriormente conhecido como Twitter, que um dos seus táxis sem condutor entrou numa área de construção e parou em betão molhado.

"Este veículo já foi recuperado e estamos a comunicar com a cidade sobre este assunto", afirmou a empresa.

Obstáculos aos veículos autónomos

Os acontecimentos recentes sublinham os desafios da criação de veículos de passageiros seguros e totalmente sem condutor.

A General Motors adquiriu a Cruise Automation em 2016 por mil milhões de dólares (920 milhões de euros, ao câmbio atual), solidificando o seu lugar na corrida dos veículos autónomos, mas desde então muitas empresas reduziram ou abandonaram as suas ambições de veículos sem condutor. O esforço tem-se revelado dispendioso e dominar todas as situações que os humanos podem enfrentar ao volante é difícil e moroso.

Os gigantes da partilha de viagens Uber e Lyft venderam unidades de veículos autónomos nos últimos anos. Até o CEO da Tesla, Elon Musk, que se mostrou otimista em relação à tecnologia dos veículos autónomos, ainda não cumpriu totalmente a sua promessa.

Os veículos Tesla têm agora a opção de adicionar uma funcionalidade de "condução totalmente autónoma" em fase de testes beta por 15 mil dólares, mas os condutores têm de concordar em "manter-se alerta, manter as mãos no volante em todos os momentos e manter o controlo do seu carro".

Continue a ler esta notícia