Duas estranhas partilharam um quarto de hotel. Tornaram-se melhores amigas para toda a vida - TVI

Duas estranhas partilharam um quarto de hotel. Tornaram-se melhores amigas para toda a vida

  • CNN
  • Francesca Street
  • 26 mar 2023, 17:00
Duas estranhas partilharam um quarto de hotel. Tornaram-se melhores amigas para toda a vida. Foto: Hollie Savitt

Ambas as mulheres se sentiram confortáveis uma com a outra. Era difícil de explicar, mas quando começaram a conversar, era como se se conhecessem há anos

Andrea Rubakovic ficou retida no aeroporto de Heathrow em Londres e sentia-se cada vez mais apavorada.

Estávamos no início de Janeiro de 2010 e um nevão tinha paralisado a capital britânica.

O voo de regresso de Andrea para Toronto, no Canadá, foi cancelado, tal como praticamente todos os voos no quadro de partidas de Heathrow.

"Foi só um colapso total do sistema, um caos absoluto no aeroporto." É assim que Andrea se lembra de Heathrow nesse dia. Como canadiana, Andrea ficou estupefacta com a ideia de que a versão britânica de um "enorme nevão" se devia a cerca de "um milímetro de neve".

Andrea queria regressar a Toronto para ver a sua família sérvia a tempo das tradicionais celebrações de Natal no dia 6 de janeiro. Se ela não partisse do Reino Unido o mais depressa possível, nunca conseguiria chegar a tempo, e a ideia de perder as festividades partia-lhe o coração.

"Era muito, muito, muito importante para mim estar de volta a casa a tempo", recorda Andrea, que estava na casa dos 20 anos nessa altura.

Mas as horas passaram, e não havia sinais de qualquer voo vir a partir naquele dia, e a área de partidas do aeroporto de Heathrow estava repleta de multidões de passageiros igualmente encalhados.

Entre eles, estava uma viajante americana chamada Hollie Savitt, de Chicago. Em Janeiro de 2010, Hollie estava também na casa dos 20 e poucos anos e estava a meio de uma viagem pós-faculdade por todo o mundo.

"Tinha partido para o estrangeiro e era suposto estar ausente durante dois meses", disse Hollie à CNN Travel. "Penso que nessa altura eu ia no mês nove ou dez".

O voo de Hollie também foi cancelado. Ela estava às voltas na zona de partida, perguntando-se o que haveria de fazer quando avistou Andrea. Hollie sentiu-se imediatamente solidária para com a desconhecida, que parecia assoberbada e exausta.

"Vejo esta querida rapariga exaltada e inquieta – ela é resistente, não vamos arruinar a sua credibilidade – mas estava a chorar", diz Hollie.

"Acho que me aproximei dela e perguntei, «estás bem?»"

Em resposta, Andrea falou com Hollie sobre o seu voo cancelado e a mais que provável ausência das celebrações de Natal.

"Eu pensei: «Muito bem, vamos dividir para conquistar. Vamos resolver isto - duas cabeças são melhores do que uma»”, recorda Hollie.

"A Hollie foi apenas muito, muito prestável", diz Andrea. "Ela disse: «Nós tratamos disto. Vamos lá resolver as coisas». E demo-nos logo bem desde o início. Tornámo-nos logo uma pequena equipa, no meio do caos que nos rodeava".

Hollie levou Andrea de volta ao balcão de apoio ao cliente, e elas passaram a hora seguinte a explorar as alternativas – seria provável que algum voo partisse nesse dia? Qual era o procedimento para ter lugar num voo no dia seguinte? O que é que a companhia aérea e o aeroporto poderiam assegurar entretanto?

Andrea sentiu a nuvem por cima dela a dissipar-se. Ela ainda estava ansiosa por voltar para casa para a família. Mas ela confiou em Hollie, que era resplandecente e alegre, mesmo no meio do caos, e fazia-a rir.

Quanto a Hollie, ela empatizava com o dilema de Andrea, reconhecendo que ela estava emocionalmente desgastada e a precisar de um rosto amigo e de um pouco de apoio moral.

"Não queria que ela se sentisse sozinha", diz Hollie.

Ambas as mulheres se sentiram confortáveis uma com a outra. Era difícil de explicar, mas quando começaram a conversar, era como se se conhecessem há anos.

Assim, quando foi finalmente entregue a Andrea um cobiçado vale de hotel pelo pessoal do aeroporto, ela e Hollie decidiram partilhar o quarto durante a noite.

"Hesitámos as duas durante 30 segundos. E depois foi «qual é a nossa outra opção?»" recorda Hollie.

Uma noite em Londres

Hollie, à direita, e Andrea, à esquerda, tiraram esta fotografia quando chegaram ao hotel naquela primeira noite. Foto: Hollie Savitt

Hollie e Andrea esperavam ser instaladas num hotel perto de Heathrow, mas afinal o voucher era para um hotel no centro de Londres, perto da famosa Tower Bridge.

Hollie considera que devido à dimensão das perturbações e ao número de passageiros retidos, o aeroporto já tinha esgotado os hotéis locais. Mas seja qual por que razão for, quando Hollie e Andrea viram onde iriam passar a noite, com vista para o rio Tamisa e para o horizonte histórico de Londres, a noite passou oficialmente de um desastre para uma aventura.

"Chegamos ao hotel e ficamos tipo, «isto é uma loucura»", recorda Hollie.

"Era um lugar aconchegante", diz Andrea. "Foi bastante irreal para nós, nos nossos 20 e poucos anos de idade, ficar num hotel tão agradável."

Depois de terem feito o check-in, conheceram outros viajantes encalhados, e concordaram em unir forças na manhã seguinte para recomeçar a busca para conseguirem um lugar num avião.

Mas, entretanto, Hollie e Andrea iam-se conhecendo, aproveitando ao máximo a inesperada situação. Quando chegaram ao quarto, as duas mulheres, alegres e contentes, tiraram uma fotografia no espelho do quarto. Na foto, ambas estão envoltas em casacos gigantes para o frio gelado de Londres, fazendo uma careta como que a dizer, "sem saber como, estou presa num requintado quarto de hotel com uma estranha. De qualquer forma, até é divertido".

Nessa noite, ficaram acordadas até às primeiras horas da madrugada a conversar e a partilhar histórias.

"Falámos sobre tudo", diz Andrea sobre essas conversas.

Elas perceberam, recorda Andrea, que ambas partilhavam "valores centrais semelhantes de família, amigos e educação".

E tanto Hollie como Andrea adoram viajar – pelo menos em circunstâncias normais adoram viajar, quando os voos não são cancelados.

Andrea e Hollie também estavam na mesma onda, fazendo-se rir uma à outra e criando laços, apesar das circunstâncias invulgares. Andrea diz que ambas partilham uma mentalidade "super extrovertida, super divertida, «de fazer com que as coisas aconteçam»".

"Foi realmente divertido", diz ela sobre aquela noite. "Apesar de ter sido realmente stressante. Foi uma das noites mais memoráveis de sempre.”

"De imediato começámos a planear – «Quando é que nos iríamos encontrar de novo?»"

"Essa foi a melhor parte", diz Hollie.

Andrea e Hollie tiraram esta foto no segundo dia em que tentaram encontrar um voo no aeroporto de Heathrow. Foto: Hollie Savitt

De volta ao aeroporto no dia seguinte, Hollie, Andrea e os seus companheiros de viagem encalhados começaram a tentar arranjar novos voos.

"Estávamos todos com a missão de fazer a Andrea chegar a casa para o Natal sérvio", diz Hollie. "Todos no aeroporto estavam a trabalhar em conjunto. Se uma pessoa conseguisse ser atendida por telefone, passava-o pela fila para que o funcionário do serviço de apoio ao cliente ajudasse todos na fila."

Esta estratégia de unir esforços valeu a pena e Andrea foi uma das primeiras a receber um novo bilhete.

Antes de Andrea correr para a porta de embarque, ela partilhou os detalhes do seu Facebook com Hollie. As duas mulheres planearam manter-se em contacto.

"Éramos ambas bastante aventureiras, realmente abertas a viajar, por isso penso que já tínhamos planeado vermo-nos num futuro próximo", diz Andrea. "Por isso não foi um adeus, foi um «vejo-te daqui a nada».

Amizade duradoura

Hollie visitou Andrea em Toronto pouco depois de se terem conhecido em Londres. Foto: Hollie Savitt

Andrea chegou mesmo a tempo das celebrações natalícias com a sua família. Entretanto, Hollie conseguiu apanhar um voo para os EUA, antes de continuar as suas viagens.

As duas começaram a trocar mensagens regularmente, planeando viagens futuras juntas – talvez se encontrassem em Istambul, na Turquia, ou combinassem ver-se nos EUA?

No final, Hollie visitou Andrea em Toronto nesse verão de 2010.

"Hollie conheceu todos os meus amigos, e nós divertimo-nos muito", recorda Andrea. "E depois disso fui a Chicago."

"Foi óptimo", diz Hollie. "Durante anos, fizemos turnos a visitar a outra".

Ficou claro rapidamente que a noite em que tinham estado presas no nevão de Londres tinha traçado a sua amizade. Quando se encontraram em Toronto, não foi como reencontrar um estranho – verem-se de novo foi como se estivessem a rever um velho amigo.

"Quando encontramos alguém numa viagem, as pessoas veem o nosso eu mais autêntico", diz Hollie. "Estás num estado tão vulnerável/verdadeiro que quando deixas alguém se aproximar realmente, muitas vezes essas pessoas conhecem-me melhor do que pessoas que conheço há muito tempo".

Tanto Andrea como Hollie têm grandes memórias dessas primeiras visitas. Uma vez, Andrea esteve com Hollie nos EUA no feriado de 4 de Julho.

"Fomos a casa da amiga dela para um churrasco. Estavam a tocar tanta música country, que eu nunca esperaria gostar, mas ela entranhou-se mesmo dentro de mim, e fez-me sentir tão bem, e eu ouço-a até hoje", diz Andrea.

Numa outra ocasião, Hollie visitou Andrea na véspera do Ano Novo.

Andrea queria que Hollie se divertisse muito, que as duas saíssem em Toronto e entrassem no novo ano com grande estilo. Mas quando chegou o momento, Andrea não se sentia com vontade de cumprir esse plano.

"Eu só preciso de relaxar", admitiu ela.

"Está tudo bem. Vim para te ver", respondeu Hollie.

"Ficámos no sofá e falámos de absolutamente tudo e apoiámo-nos mutuamente e limitámo-nos a passar um bom bocado. Isso foi realmente memorável para mim, e significou muito", diz Andrea.

Amigas para a vida

Em 2022, Hollie visitou Andrea em Londres. Foto: Hollie Savitt

Cerca de 13 anos depois de se terem conhecido em Heathrow, Hollie e Andrea estão mais próximas do que nunca.

Hollie visitou recentemente Andrea em Londres, onde ela vive agora com o seu marido e dois filhos.

"Sempre me fizeste sentir como se eu fosse parte da família, para sempre", diz Hollie a Andrea.

"Tu fazes", responde Andrea. "A Hollie é como uma rocha, ela é muito sólida. Qualquer coisa que eu precise emocionalmente, ela está lá".

Ainda assim, quando Andrea casou e teve filhos, Hollie, embora encantada pela sua amiga, perguntou-se se a relação delas iria mudar.

"Eu estava nervosa", diz Hollie.

Mas os seus receios nunca se materializaram.

"Penso que nos aproximámos mais desde essa altura", diz Andrea. "Significativamente mais próximas, porque as coisas apenas se tornaram mais reais. E nós estamos lá uma para a outra".

Isto foi especialmente verdade durante a pandemia. Andrea estava no Reino Unido com a sua jovem família e não podia visitar os seus familiares no estrangeiro. Com todos os altos e baixos, Hollie apoiou-a e animou-a mesmo ao longe.

Hollie diz que o apoio foi sempre recíproco.

"Ela é como a líder de uma claque", diz ela sobre Andrea. "Quando estou em baixo ela abana-me até eu voltar a mim, porque somos realmente semelhantes e ela conhece-me muito bem."

No ano passado, quando as restrições de viagem pós-pandemia finalmente permitiram, Hollie foi a Londres para visitar Andrea e conhecer os seus filhos. Andrea diz que isto "significou muito".

"Significou muito para mim também", diz Hollie, acrescentando como foi especial ser apresentada aos filhos de Andrea.

"Esse é o sinal mais claro de que pertences àquela família", diz ela.

Além disso, a filha de Andrea adorou completamente a Hollie.

"Elas tornaram-se as melhores amigas", diz Andrea. "A Hol comprou-lhe este coelhinho, este peluche, e ela ainda dorme com ele."

Quando não estão juntas, Andrea e Hollie trocam regularmente mensagens. As suas conversas vão desde o mais profundo e relevante até às "coisas mais parvas", como diz Hollie. Por vezes, a conversa falha durante algum tempo, mas ambas sabem que estão lá para cada uma.

Eis quando Hollie conheceu a família de Andrea em Londres, em 2022. Foto: Hollie Savitt

Hoje, Hollie e Andrea estão a conspirar aventuras futuras. Hollie diz que adoraria viajar para a Sérvia com Andrea, e espera que isso possa estar no horizonte este verão.

As duas amigas também sempre brincaram que deveriam regressar ao requintado hotel de Tower Bridge, onde tudo começou. Mas agora que Andrea vive em Londres, ela começou a perguntar-se se o hotel não seria tão extravagante como elas se lembram.

Recentemente, encontrava-se na zona da Tower Bridge com a família e decidiu tentar encontrar o hotel. Enquanto passeavam, Andrea contou a história de como ela e Hollie se conheceram – apesar de ser uma que o seu marido e filhos conhecem agora tão bem como ela.

No fim de contas, a família acabou por tropeçar no que Andrea imagina ter sido o hotel. Todos eles o examinaram por um momento. Não correspondia bem à memória de Andrea.

"Na minha cabeça, era o hotel mais bonito, grandioso e luxuoso", diz Andrea. "Agora, olhando para ele, parecia um pouco decrépito, não parecia assim tão bonito. Ou, se calhar, simplesmente não o consegui encontrar."

Talvez seja melhor não saber, admite ela, e deixar a memória do hotel intacta.

Anos de amizade mais tarde, Andrea e Hollie deixaram há muito de se apresentar uma à outra como a "amiga que conheci quando fiquei retida no aeroporto". As memórias que fizeram juntas desde então ultrapassaram de certa forma a história sobre como tudo começou.

Além disso, vêem-se agora como melhores amigas para toda a vida, por isso é surreal pensar que só se conheceram graças a um nevão inesperado.

"Eu sabia que tinha conhecido alguém divertido", diz Andrea, recordando essa noite. "Alguém fixe, que nos veríamos de novo, que continuaríamos a sair".

Mas ela nunca teria previsto "que se tornaria de facto um núcleo, uma amizade significativa em que realmente confiamos, que nos apoia".

"Haveria um vazio sem ti, com certeza", diz Hollie, que vê o encontro no aeroporto como algo capaz de "mudar a vida".

"Estava destinado a acontecer", diz Andrea.

Continue a ler esta notícia