VÍDEO SEGUINTE
Descrição

Miguel Sousa Tavares: "O trabalhador que morreu na A6, infelizmente, cometeu um crime do Código de Estrada"

Miguel Sousa Tavares, no seu espaço semanal de comentário no Jornal Nacional, 5.º Coluna, diz que "fez-se justiça" ao ilibar Eduardo Cabrita, antigo ministro, de responsabilidades no atropelamento mortal da A6. O comentador da TVI argumenta também que a vítima mortal cometeu um crime do Código da Estrada, cujo desfecho seria sempre "inevitável", quer a viatura do Estado circulasse a 160 km/h ou a 60 km/h.

20 jun, 22:33
Últimos
Últimos