O "silêncio e a tristeza" de Ricardo Salgado. Será o fim do clã Espírito Santo?

A queda do Banco Espírito Santo, em 2014, já custou aos portugueses mais de oito milhões de euros. Oito anos e meio depois da resolução do BES, vai recomeçar, ou pelo menos está previsto, a instrução do caso, agora com um novo juiz. É um dos maiores processos da história da Justiça portuguesa que conta com 27 arguidos: 23 pessoas e 4 empresas.

A figura central é Ricardo Salgado, ex-presidente do banco e representante máximo de um clã que, do nada e em 4 gerações, se tornou num dos mais poderosos do país. 

Das origens aos dias de hoje, a jornalista Paula Gonçalves Martins leva-nos a conhecer a obra e a desgraça dos Espírito Santo.

Sobre "Jornal das 8"