Vodafone revê salários mais baixos e atribui prémio de 1.000 euros - TVI

Vodafone revê salários mais baixos e atribui prémio de 1.000 euros

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • Ana Marcela
  • 17 abr, 08:36
Vodafone Portugal com novo CEO (Getty Images/ Xavi Torrent)

As revisões salariais na Vodafone, por norma, ocorrem em julho, mas, em fevereiro, a operadora tomou medidas de "natureza extraordinária" visando as remunerações mais baixas

A Vodafone Portugal avançou com uma atualização dos salários mais baixos na operadora tendo ainda atribuído um prémio extraordinário de 1.000 euros aos colaboradores com vencimentos base até 2.000 euros, confirmou fonte oficial da companhia ao ECO Trabalho. Revisão salarial da empresa decorre em julho.

As revisões salariais na operadora, por norma, ocorrem no verão, mas, em fevereiro, a Vodafone resolveu tomar medidas de “natureza extraordinária” visando as remunerações mais baixas.

“No essencial, os vencimentos-base mensais aumentaram para um mínimo de mil euros (a que acresce subsídio de refeição e remuneração variável) e foi atribuído um prémio extraordinário de 1.000 euros a todos os colaboradores com vencimento-base mensal até 2.000 euros, desde que tivessem sido admitidos até 31 de dezembro de 2021 e não tivessem tido nos últimos seis meses revisão salarial“, adianta fonte oficial da empresa ao ECO Trabalho.

Com cerca de 1.455 colaboradores, valor no fim do ano fiscal de 2022, a operadora não adiantou quantos foram abrangidos por esta atualização extraordinária de vencimentos e por este bónus.

Com os níveis de inflação no ano passado a encolher o rendimento dos colaboradores, em novembro, em entrevista, Luísa Pestana, administradora com o pelouro dos recursos humanos, admitia que esse fator estava a ser ponderado na discussão sobre as atualizações salariais para 2023.

“Está a ser feita a análise sobre isso. Na Vodafone, os aumentos salariais têm em conta as competências das pessoas, o trabalho que fazem. Relativamente ao salário base e à compensação, é feita tendo em conta valores de mercado das funções e a carreira da pessoa”, dizia a administradora.

“Estes níveis de inflação são diferentes dos do passado. Vamos olhar para esse tema de forma muito séria e fazer essa comunicação aos colaboradores quando chegar o tempo. Mas são valores (de inflação) expressivos, não pode ser igual aos anos anteriores”, concluía a responsável.

No setor de telecomunicações, a Vodafone não foi a única a avançar com uma atualização salarial. A concorrente Altice Portugal, no âmbito das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) com os sindicatos, avançou com aumentos entre 2% e 3,5%, de acordo com faixas salariais, fixando o salário mínimo nos 830 euros, tal como noticiou o ECO Trabalho.

Os aumentos, com efeitos a partir de janeiro de 2023, foram de 3,5% nos vencimentos até 1.299 euros, de 2,3% nos vencimentos entre 1.300 e 2.299 euros e de 2% para salários iguais ou superiores a 2.300 euros. O subsídio de alimentação foi também atualizado – de 8,25 para 8,32 euros –, bem como de subsídios de turno ou nos prémios de reforma e aposentação.

No início do ano, de forma a mitigar o impacto da inflação dos rendimentos dos trabalhadores, a operadora avançou ainda com um bónus de 750 euros aos colaboradores com remuneração global mensal igual ou inferior a 1.500 euros, e de 500 euros aqueles cuja remuneração global mensal é superior a 1.500 euros.

Continue a ler esta notícia