NESTE EPISÓDIO...

Francisca ouve passos, dirige-se para a porta e vê Carlos. Francisca diz que ele tem que sair dali senão matam Elisa. Carlos tenta acalmá-la, fazê-la ver que já passou muito tempo e não entregaram Elisa. 

A porta de casa de Manuel é arrombada por dois inspetores e avançam para o seu interior. Os inspetores entram no quarto e ficam surpreendidos ao ver Manuel seminu, na cama, morto, resultado de uma asfixia auto-erótica que correu mal.

Carlos e Tiago falam da operação resgate e Carlos continua a acreditar que Elisa está em fuga por vontade própria. Tiago acha melhor marcarem um encontro com a imprensa para evitar especulações inusitadas. 

Mário pede a Ana que escreva um artigo sobre Manuel, enquanto suspeito no caso Elisa. Ana recusa-se a fazê-lo porque Manuel era seu amigo. Mário exige que o faça.

Bruno visita Rui e Francisca e reforça que a situação de Elisa exige um momento de trégua e que nesta questão familiar podem contar sempre com ele. 

No colégio, Matilde quer saber se Sebastião tem notícias de Manuel. Entretanto, entra Cláudia a falar de “asfixiofilia”. Matilde pega no telemóvel de Cláudia e lê a notícia de Manuel e desmaia.

Rui conversa com Carlos e quer saber se há a possibilidade de Elisa estar viva e agradece a Carlos por ter sido um homem de palavra e não ter contado do seu caso com Joana a Francisca. Rui pede-lhe que seja também honesto com ele e lhe diga se está a ter um caso com Francisca.