NESTE PROGRAMA...

Carlos é proprietário do TEJÁ, um bonito espaço em Santarém, que apesar da sua beleza não enche há muito tempo. Esta situação inquieta Carlos, que é um verdadeiro homem de negócios e ao restaurante soma também um serviço de catering para eventos que corre bem.

A equipa do restaurante é dirigida por Lena, gerente e cozinheira, que não sabe se passa mais tempo a gerir ou a cozinhar. A ela juntam-se dois ajudantes de cozinha e empregados de mesa,
que não têm muita gente para servir.


Para a companheira de Carlos, Márcia – responsável pelo marketing da empresa – o problema é mais que claro: a equipa da cozinha não tem habilitações. Ljubomir chega para almoçar e encontra o restaurante vazio. O menu não lhe agrada, os pratos não estão bons, as proteínas principais que são servidas estão com um aspeto nada fresco e apenas a sobremesa causa alguma simpatia. Na cozinha reina a insegurança: Lena não faz o seu papel de gerente para estar a cozinhar, mas também não é cozinheira a 100%. Esta pode ser a razão pelo qual o TEJÁ está a murchar no jardim de Santarém. O Chef dedica-se a conhecer o funcionamento da cozinha para perceber o que se passa.


A cozinha apresenta vários problemas: uma equipa desorganizada, comida mal-acondicionada, tarefas mal distribuídas e todo este peso cai sobre os ombros de Lena que sabe que não consegue ser uma boa gerente porque se desdobra em tarefas. Para complicar a situação, Ljubomir descobre que as refeições do catering são confecionadas naquela cozinha por um chef que nada tem a ver com o restaurante. Ljubomir percebe que é urgente ter um chef no restaurante, com experiência, de forma a que Lena tenha espaço para a gestão e para um talento oculto que demonstra: a pastelaria.


Mas o verdadeiro problema está no conceito do restaurante: falta-lhe alma, uma vez que Carlos nunca se entregou de coração ao espaço e não lhe conseguiu dar uma identidade.


Ljubomir descobre o caminho para esse problema: a própria história de Carlos, um homem que subiu a pulso, vendendo carne de porta a porta. Nasce assim um menu de carnes no novo TEJÁ, com uma equipa oleada e com tarefas bem distribuídas.