Temporada 3

É no meio de grandes planaltos, vales e montanhas que encontramos Vila Real: cidade transmontana conhecida pela sua história e forte gastronomia. É aqui que encontramos o Lavinas, um restaurante de comida tradicional portuguesa que está nas mãos de Elói e Mónica há um ano e meio.

O casal viveu mais de uma década na Suíça, até que tudo começou a correr mal, altura em que decidiram regressar a Portugal. Na sala, contam com a ajuda de Cleia e, na cozinha, com a venezuelana Sónia. Ao almoço, o Lavinas não tem ementa e trabalha apenas com pratos do dia, com menus de 6 euros. Para tentar fazer face às despesas, abrem também ao jantar.

Ljubomir chega para avaliar o menu e depara-se com uma oferta muito reduzida, em contraste com a interminável demora no serviço. Do pouco que há para provar, nada está confecionado em condições. O carapau de cebolada está embebido em azeite e não tem cebola ou tempero, os bifes são duros, as batatas são pré-fritas, o frango não sabe a frango e as sobremesas têm todas o mesmo sabor.

O chef regressa para assistir ao serviço de jantar e depara-se com um casal de proprietários que nada sabe sobre cozinha. Conhece uma parte da triste vida de Mónica e descobre que nunca fizeram contas ao que gastam e ganham no negócio. Fecham apenas um dia por semana e, ainda assim, não têm lucro, nem conseguem auferir um ordenado. Têm o suficiente para pagar aos empregados e cobrir as despesas. Ljubomir percebe ainda que, apesar de não terem saldo positivo, desperdiçam muita comida que deitam fora e não sabem aproveitar os poucos recursos que têm.

Contudo, o chef resolve pôr mãos à obra na cozinha e fica chocado quando percebe que Mónica não tem quase nada na despensa e tem de ir às compras todos os dias. Rapidamente encontra soluções, mas fica com a certeza que há dois problemas fundamentais no Lavinas: os proprietários não sabem fazer contas, nem cozinhar.

A certa altura, o chef decide ter uma conversa muito séria com Mónica, altura em que descobre o rosário de desgraças que foi e é a sua vida. Completamente chocado perante o facto de ter uma vida tão miserável e, aparentemente, um marido que nada se interessa pela vida familiar, Ljubomir decide que nessa noite Mónica, Elói e os 4 filhos vão ao cinema para terem umas horas de lazer.

Segue-se uma conversa com Elói, em que Ljubomir o tenta sensibilizar para ajudar mais a sua mulher, quer em casa, quer no restaurante, sob pena de ter que lhe prestar contas. O chef conversa, no fim, com todo o staff deixando uma dica: os patrões têm de saber mandar e os funcionários têm de saber trabalhar. Ljubomir descobre que o grande problema está na relação do casal e comunica-lhes que a transformação não passa só pelo restaurante, mas também pela vida pessoal, pois, só se estiverem mais felizes é que o negócio correrá melhor!

Após a remodelação do Lavinas, que ganha nova vida em tons de azul, uma iluminação mais bonita e acolhedora, bem como loiça nova e objetos decorativos da região, o chef apresenta um novo menu bem português: arroz de cabidela, truta recheada com presunto, caldo verde, bochechas de porco, carapaus de cebolada, bacalhau à brás e pica-pau.

No dia de inauguração do novo espaço, Ljubomir percebe que a noite de cinema reaproximou o casal e todo o serviço decorre como planeado, privilegiando uma nova organização e uma confeção mais cuidada, com ingredientes simples e de qualidade. Mais uma missão cumprida!