Glória Loureiro

Kelly Bailey

É a irmã mais nova de Teresa de quem tem poucas ou nenhumas memórias. Não percebe, nem aceita, que a mãe, de quem também pouco se lembra, a tenha deixado ao cuidado do pai. Cedo teve de aprender a desenrascar-se para sobreviver. Mal tinha entrado na adolescência quando se envolveu com um gangue de pequenos delinquentes e acabou num Estabelecimento Correcional. Andava a fazer serviço comunitário quando conheceu Fredy que estava na mesma situação. Os dois tornaram-se amigos e confidentes. Com 16 anos, Glória saiu do Estabelecimento Correcional e voltou para casa, só para constatar que estava tudo como dantes. O pai, enterrado em esquemas ilegais, vendeu-a por uma noite a um árabe (Khalef Maluf) a quem devia dinheiro. Glória aceita passar a noite com o homem, mas no dia seguinte ambos tinham desaparecido. Anos mais tarde, Glória e Fredy voltaram a encontrar-se. Este tinha-se instalado em casa do irmão, Sílvio. Montara uma oficina de transformação de motas com peças furtadas e fazia roubos por encomenda. Glória nunca mais teve contacto com a família. Desprezava a mãe e a irmã por a terem abandonado e o pai que a vendera. Vive com Fredy e o irmão deste, até que um dia os restos mortais do homem a quem tinha sido vendida, que se chamava Khalef Maluf, aparecem. Vítor, saído de fresco da cadeia, procura a filha, mostrando-lhe provas de que esta matara o árabe. Chantagea-a. O pesadelo, afinal, não tinha acabado. Mas, por trás da morte de Khalef, está uma conspiração em que Glória se verá envolvida.