Letícia Lacerda Drummond

Ana Cristina Oliveira

Para Letícia, dado o seu caráter exagerado e discurso hiperbólico, o 25 de Abril, de que não tem recordações, foi uma hecatombe. Tanto quanto os pais lhe contaram, foram obrigados a fugir à fúria revolucionária dos tempos do PREC (processo revolucionário em curso) e deixaram para trás negócios de família que nunca mais conseguiram recuperar. Mas fizeram fortuna no Brasil. Letícia, tal como o irmão Diogo, cresceu no Rio do Janeiro e sempre sentiu que o “destino” lhe devia a grandeza e o desafogo em que era suposto ter crescido em Portugal, não fora o ímpeto comunista dos anos 70. A sua beleza e magnetismo pessoal encarregaram-se de a ajudar a conquistar tudo isso. Casou com Henrique e, por não poder ter filhos, adotou duas crianças no Norte de África. Aparentemente fútil e pouco esperta, Letícia é uma mulher ambiciosa e cheia de recursos que não hesita quando posta perante um desafio.