Mário Andrade e Sousa

Vítor Hugo

De origens aristocráticas, Mário cresceu no Brasil para onde os pais se mudaram depois do 25 de Abril. Quando voltou parta Portugal, Mário travou conhecimento com Henrique Drummond, a quem prestou importantes serviços e de quem, como prémio, veio a tornar-se sócio. Acabou por cruzar-se com Graça, advogada ambiciosa. Casaram-se pouco depois de se terem conhecido: constituíam o par perfeito: tinham sucesso profissional e financeiro. Deste casamento, há 22 anos, nasceram dois filhos: Tomé, de 21 anos, e Gonçalo que morreu aos 19 num atentado terrorista. Esta perda vai fazer grande mossa na relação do casal que, aos poucos, se vai separando, embora, por razões de conveniência, em momento algum ponha hipótese de se divorciar: Mário quer esquecer a perda do filho e retomar a sua vida; Graça quer vingança.