Tomé Andrade e Sousa

Tiago Teotónio Pereira

Tomé carrega consigo um quase intransponível sentimento de culpa. No dia do atentado que vitimou o irmão mais novo, Tomé deveria ter estado a seu lado: um percalço fê-lo atrasar-se para o encontro e talvez Gonçalo não tivesse morrido se ele tivesse chegado a horas. Tomé passou a sentir-se culpado da morte do irmão e se o pai, Mário, tentava a todo o custo que ele deixasse de carregar esse peso consigo, a mãe, Graça, não perdia uma oportunidade para “carregar” ainda mais nessa dor. Tomé, o impecável aluno de gestão que um dia assumiria um papel importante na companhia do pai e de Henrique, fazendo o gosto de ambas as famílias, namorava com uma das gémeas Drummond, Beatriz. Mas tudo isso muda quando Glória entra na equação.