Ana Catarina Santa Cruz

Interpretado por Madalena Aragão
“Olá, sou a Ana Catarina. Quando nasci… ou melhor, quando os meus pais me adotaram, a minha mãe chamou-me Ana e o meu pai deu-me o nome da minha avó Catarina que, por sinal, é horrorosa para mim. Deve ser por isso que odeio que me chamem Ana Catarina. Soa a castigo. Karma. Para todos os efeitos, sou só a Ana. Agora, aos 14 anos, soube que fui adotada e, apesar de perceber que isso até pode ter sido bom para mim, não aceito que, pelo menos, a minha mãe biológica nunca tenha vindo à minha procura. O que é que pode justificar que uma mulher entregue uma filha para adoção no exato momento em que ela nasce?”

Lema de vida: Um dia a verdade há-de vir ao de cima.