Rita Paiva do Amaral

Interpretado por Maya Booth
“Não posso dizer se fui para engenharia industrial por vocação ou por obrigação. Já não me lembro mas, por ser engenheira industrial, giro a parte técnica da empresa de família, uma empresa de lacticínios, a CoopLeite. Fui sempre bem-comportada e cumpri todas as expectativas do meu pai de quem já a minha mãe se queixava: achava que ele era esbanjador. Não percebo como é que demorei tanto para encontrar um bom marido, mas talvez não tenha procurado com muito afinco: tenho uma relação amorosa com o Marcos Santa Cruz há um ror de anos. Detesto-o tanto como me sinto atraída e, no balanço, prefiro sempre ir para a cama com ele."

Lema de vida: Vícios privados, públicas virtudes.