Turquia: Erdogan deseja "um futuro proveitoso" ao país e à democracia

  • Agência Lusa
  • 14 mai 2023, 14:02
MM
Turquia: Erdogan deseja "um futuro proveitoso" ao país e à democracia - TVI

A Turquia vai este domingo a votos para decidir se Recep Tayyip Erdogan sucede a Recep Tayyip Erdogan

O presidente turco cessante Recep Tayyip Erdogan desejou, este domingo, "um futuro proveitoso" ao país e à democracia, depois de ter votado em Istambul, numa eleição presidencial e parlamentar que se prevê renhida.

"É importante que todos os eleitores votem sem preocupações até às 17:00 (14:00 em Lisboa) para mostrar a força da democracia turca", afirmou Erdogan, sem comentar se previa uma vitória.

As eleições presidenciais e parlamentares turcas estão a decorrer, até ao momento, sem incidentes de maior, num dia que pode acabar, segundo as sondagens, com 20 anos de governos do atual presidente Erdogan.

Desde as 08:00 (05:00 em Lisboa), cerca de 61 milhões de eleitores podem exercer o seu direito de voto nas 192.000 urnas dispersas pelo país.

"O mais importante que se pode dizer depois de votar é que o processo [eleitoral] aconteceu, até agora, sem incidentes", assinalou Erdogan.

O presidente e candidato à reeleição afirmou ainda não terem existido problemas com o processo eleitoral nas províncias do sudeste da Turquia, que, em fevereiro, foram abaladas por terramotos que causaram cerca de 50.000 mortes.

Também o social-democrata Kemal Kiliçdaroglu, que as sondagens apontam como vencedor desta primeira volta das presidenciais, agradeceu o apoio dos seus seguidores e mostrou-se confiante com a vitória.

"Todos sentimos falta da democracia (...) A partir de agora, vão ver que a Primavera chegará a este país. Apresento o meu mais sincero respeito a todos", afirmou o líder da oposição, que é apoiado por uma coligação do seu partido com o nacionalista IYI, forças islâmicas e conservadoras.

As últimas sondagens divulgadas preveem uma vitória apertada de Kiliçdaroglu sobre Erdogan, o que evitaria uma segunda volta dentro de duas semanas. É possível, contudo, que nenhum dos dois consiga a maioria absoluta nesta primeira volta.

De acordo com as sondagens, o terceiro candidato, o nacionalista Sinan Ogan, não obterá mais de 3%, o suficiente para que Kiliççdaroglu ou Erdogan não consigam a maioria.

Nas eleições parlamentares, as sondagens indicam que a coligação do partido de Erdogan e o ultranacionalista MHP não renovam a maioria absoluta, ainda que a aliança social-democrata do CHP com o nacionalista IYI também não o faça, pelo que, o partido de esquerda HDP será decisivo.

Ainda que não tenham sido difundidos dados da participação, a afluência às urnas tem sido elevada.

Na Turquia, onde o voto é obrigatório, embora o controlo seja pouco rigoroso, a afluência às urnas deverá superar os 80%.

Até às 18:00 (15:00 em Lisboa) não se podem difundir noticias relacionadas com as eleições e os meios de comunicação estão proibidos de informar sobre os resultados até às 21:00 (18:00 em Lisboa), podendo, no entanto, a Comissão Eleitoral levantar essa proibição antes.