Rosa

Interpretado por Matilde Breyner
Sabem aquelas mulheres que não viram as costas ao trabalho? Pois, não é o caso da Rosa.

Na casa dos 40, totalmente descerebrada, solteira e meio desbocada. Vive e trabalha em casa de Tília, trabalho que herdou da sua falecida mãe, pessoa por quem Tília tinha elevada estima e a quem prometeu não deixar Rosa desamparada. Detesta o que faz, preguiçosa no serviço, embora ande sempre a fazer de conta que se farta de trabalhar e por isso se queixe imenso. Aguenta aquele trabalho porque acredita que só assim atingirá o seu sonho: ser uma cartomante famosa e rica. Não percebe rigorosamente nada sobre o ofício que almeja ter, mas acredita que tem um dom natural. Tenta escutar atrás das portas e assim tentar aprender com Tília, coisa que obviamente não consegue. Convence as amigas, também elas domésticas da rua, que é uma cartomante de mão cheia e passa a vida a tentar ler-lhes as cartas (um baralho convencional) com que anda sempre. Obviamente que nunca acerta em nada. Não demonstra sentir nada por Jasmim, até porque se acha muito melhor que ele, mas também não lho diz diretamente, vai mantendo-o em banho-maria e nunca se compromete. Não sabe se gosta ou não de Tília, tem dias. De preferência aqueles em que Tília se resigna e desiste de a fazer cumprir horários e fazer minimamente bem o seu trabalho.