NESTE EPISÓDIO...

Carolina pergunta à irmã se está com vergonha de ter acabado com o casamento dela e Sara acusa-a de ter feito o mesmo, pois meteu Marcelo na prisão. Carolina conta que vai fazer a renovação de votos e Sara fica a chorar.

O Papa diz a Artur que a ida dele para ali foi encomendada, e comenta que ele é ingénuo, pois para encomendar uma sentença no Brasil, é só preciso ter dinheiro. O advogado conta que o juiz se recusou a falar com ele e Artur não tem visitas. Júlia quer pagar para conseguir libertar Artur e o advogado diz que não funciona assim. Júlia quer mudar de advogado, mas Camilla diz que a culpa não é dele. Bruno puxa a mãe à parte e pergunta-lhe que ela sabe alguma coisa. 

Cláudia vai ter com Luís arrasada e mostra uma fotografia de Becas recortada. Bruno pressiona a mãe e Camilla acaba por contar que Horácio esteve no julgamento e que discutiram por causa de Artur. Bruno percebe tudo. Maria Pia observa Leonor e Danilo e acha estranha a relação deles. Papa conta que já subornou muitas autoridades e explica que não pode sair da prisão, pois tem muitos inimigos lá fora e vinca que Artur tem alguém o que quer ver morto.

  Sara conta a Leonor que Carolina tem uma gravação de uma conversa dela com o psicólogo e Leonor fica aliviada ao saber que o seu nome não foi mencionado. Sara pede a Leonor para separar Carolina e Vasco, e se isso não acontecer, ameaça que conta tudo. 

Luís diz a Cláudia que tem de acabar com aquela relação e ela assente que não consegue, e diz estar muito arrependida do que fez à Becas. 

Carolina conta a Becas que foi agradecer a Carlos e depois falar com Sara e acha que a irmã não está bem. Conta que a mãe dela era esquizofrénica e Sara pode estar a precisar de ser tratada e decide ir falar com o psicólogo dela. 

Leonor está aflita e Danilo vinca que ou ela volta para Lisboa ou conta a verdade. Ana Clara avisa Jaques e Dalva que vai para o Brasil e que não sabe quando volta.  Becas acha que o psicólogo não vai aceitar falar com ela sobre Sara e Carolina pede à amiga para tentar saber quem ele é, junto de Ana Clara.  Um guarda entra e diz que está na hora do recreio e Papa diz a Artur que ao lado dele, não tem que ter medo de nada. 

Os presos observam Artur e o Papa a afastarem-se, e um deles diz que está na hora. Um dos presos entra na cela de Artur e o outro fica de vigia.  Luís diz que Cláudia tem de por Joana na rua e Cláudia agradece-lhe por a ter ouvido.  Joana pega num faca e corta os pulsos e encosta-se no sofá.  Um dos presos vasculha o saco de Artur e retira os comprimidos. 

O preso acha que deviam saber o que é que estão a esconder, e decidem tomar um comprimido e saem. Becas liga a Ana Clara e esta conta que vai para o Brasil, pois Artur foi condenado e enviado para uma prisão de alta segurança.  Sara pergunta a Carlos como é que Carolina tem uma gravação de uma conversa dela com o psicólogo e pede para falar com o seu chefe e Carlos fica furioso. Artur entra no pátio a medo e Papa assente que ele está em segurança.  Carlos tenta convencer Sara a ir embora. O chefe da PJ chega e Sara conta que Carlos teve um caso com Carolina e que o acidente dela e Vasco foi provocado por Carlos.  Carlos diz que não há provas, mas não nega ter tido um caso com Carolina, mas o marido dela já sabe. Sara continua a insistir e o chefe pede para chamarem Carolina para interrogatório. 

Artur pergunta a Papa se não quer sair dali e ele diz que lá fora está morto, e conta que tentou acabar com uma rede de tráfico humano. Os presos que tomaram os comprimidos sentem-se com muita energia e jogam à bola e todos estranham.  Inspetor liga a Carolina e diz que Sara está na PJ e Carolina sai a correr. 

O chefe pergunta a Carlos se o que Sara disse é verdade e Carlos entrega o seu distintivo e diz que não há provas, mas que há momentos em que erramos e acha que deve ser investigado e depois o chefe decidirá se ele deve continuar na PJ ou não. Artur entra na cela e vai tomar os comprimidos, quando percebe que foram roubados.