Cristina sobre o filho doente: «Nestes 15 anos, o Diogo nunca me chamou de mãe»

10 jun, 11:59
Cristina sobre o filho doente: «Nestes 15 anos, o Diogo nunca me chamou de mãe» - TVI

No «Dois às 10», ouvimos o testemunho de Cristina Silva sobre a doença do filho. A reportagem começa com imagens do Diogo e Cristina, emocionada e com lágrimas nos olhos, dizer: “Nestes 15 anos, o Diogo nunca me chamou de mãe e não sei se algum dia ele  o fará. É a minha angústia e a minha tristeza diária”. Cristina conta como foi a gravidez e como o marido e o filho mais velho ficaram  radiantes quando Diogo nasceu. No entanto, cinco meses depois, o pesadelo começou. Cristina relata que a doença de Diogo começou com uma febre alta, que levou à a ficar internado na UCI, que teve como consequência o coma e uma hidrocefalia. No dia do aniversário de Cristina, ela recebeu a notícia de que o filho tinha tido três AVCs e que certamente não iria resistir. Durante todo o tempo que Diogo esteve na UCI, os médicos nunca revelaram a causa da doença. A maior angústia de Cristina era receber a notícia da morte do filho. Apenas quando Diogo foi transferido para a medicina interna é que foi comunicado que se tratava de meningite. Foi nesse momento que Cristina percebeu que o filho que ela tinha tido já não era o mesmo.  Cristina revela que as limitações do filho são de 100%. “É muito difícil aceitar e viver o dia-a-dia com uma criança assim… A reportagem começa com imagens do Diogo e Cristina, emocionada e com lágrimas nos olhos, dizer: “Nestes 15 anos, o Diogo nunca me chamou de mãe e não sei se algum dia ele o fará. É a minha angústia e a minha tristeza diária”. Cristina conta como foi a gravidez e como o marido e o filho mais velho ficaram radiantes quando Diogo nasceu. No entanto, cinco meses depois, o pesadelo começou. Cristina relata que a doença de Diogo começou com uma febre alta, que levou à a ficar internado na UCI, que teve como consequência o coma e uma hidrocefalia. No dia do aniversário de Cristina, ela recebeu a notícia de que o filho tinha tido três AVCs e que certamente não iria resistir. Durante todo o tempo que Diogo esteve na UCI, os médicos nunca revelaram a causa da doença. A maior angústia de Cristina era receber a notícia da morte do filho. Apenas quando Diogo foi transferido para a medicina interna é que foi comunicado que se tratava de meningite. Foi nesse momento que Cristina percebeu que o filho que ela tinha tido já não era o mesmo. Cristina revela que as limitações do filho são de 100%. T Termina : “É muito difícil aceitar e viver o dia-a-dia com uma criança assim… fazemos de tudo para que seja uma vida normal, mas nunca é. Eu não consigo ser feliz.”