ter, 25 set

Costuma olhar para as suas fezes?

As fezes são constituídas por 75% de água. O componente sólido é uma mistura de fibras, bactérias fecais, células intestinais e muco.

A Escala de Bristol (ver na galeria de imagens) é uma ferramenta que facilita a “leitura” do trânsito intestinal, dividindo as fezes em sete tipos, de acordo com a sua forma e consistência. As fezes do tipo três, quatro e cinco são consideradas ideais, pois ultrapassam o esfíncter anal sem esforço.

 

SINAIS DE ALERTA:

As alterações na cor e consistência das fezes não devem ser menosprezadas, sobretudo quando acompanhadas de outros sintomas como a perda de peso ou dores abdominais. O odor também pode indiciar a presença de tumores, sangue ou gordura.

 

CORES:

- Sangue vermelho: pode resultar de uma hemorragia com origem anal, retal ou cólica (causada, por exemplo, por hemorroidas, pólipos, tumores ou doença inflamatória intestinal).

- Fezes pretas (melenas): Quando as fezes se apresentam tipo alcatrão devido à presença de sangue digerido, isso pode dever-se à ocorrência de uma hemorragia com origem no estômago ou duodeno.

- Fezes esbranquiçadas: indicam uma obstrução das vias biliares com diminuição de sais biliares nas fezes, uma situação que pode resultar, por exemplo, de um tumor da vesícula ou do pâncreas.

- Fezes amarelas e de aspeto gorduroso (esteatorreia): Revelam má absorção de gorduras, condição que ocorre na pancreatite crónica.

 

CONSISTÊNCIA:

- Fezes “em fitas” finas e longas: podem indiciar a presença de um tumor obstrutivo ou síndrome do intestino irritável.

- Fezes líquidas ou aquosas: ocorrem em situações de má absorção, síndrome do intestino irritável, gastrenterites ou stress.

 

Algumas doenças podem estar associadas aos intestinos, saiba tudo aqui.

12 FOTOS: Fezes: cores e formas
a carregar...

    Página Oficial do Você na TV