Francisco Guerreiro sobre o PAN: «Houve uma clivagem claramente à esquerda»

25 set 2020 15:57

No «Você na TV», o eurodeputado e ex-assessor parlamentar do PAN recorda as razões que o levaram a sair do partido.

Manuel Luís Goucha esteve esta manhã de sexta-feira, na companhia de Francisco Guerreiro e da sua família. O eurodeputado e ex-assessor parlamentar do PAN explica as divergências que fizeram com que abandonasse o partido. Francisco admitiu que estava no PAN desde a sua fundação, mas confessa que no último ano muita coisa mudou: «Houve uma clivagem, a meu ver, claramente à esquerda, e eu sempre estive num partido que não era assumido de esquerda, e assim gostaria de ter continuado». Acrescentou ainda que houve uma mudança na comunicação o que é algo que não apoia, devido ao facto de ter sido coordenador durante muitos anos, e achar que deveriam ter uma comunicação diferenciada. Confessou ter sido uma desilusão para ele, mas deseja ao partido tudo de melhor.

Atualmente, Francisco Guerreiro tem feito um trabalho bastante produtivo, dentro do partido Verde Europeu, continuando a cumprir o programa eleitoral. Francisco explicou aos portugueses que é preciso estarem consciencializados que vivemos num mundo globalizado e que «sozinhos não conseguimos fazer nada». Para o eurodeputado, parece claro que existem várias vantagens na integração do país na União Europeia: «Apesar dos defeitos, temos conseguido muitas vitórias».

Em relação à sua vida pessoal, que de momento está a viver em Bruxelas, Francisco expõe a falta que sente de Sandra, a sua mulher, e das duas filhas, Emília e Ema admitindo: «Faço questão de vir todos os fins-de-semana para estar com a família, porque é um elemento fundamental e custa muito estar longe...». Francisco Guerreiro é vegano há 11 anos e veio preparar alho-francês à brás, numa tentativa de demonstrar como é fácil comer bem seguindo esta opção alimentar.